A diferença entre ser professor na Finlândia e no Brasil

Claudia Wallin
De Helsinque

[show_fb_likes]

Neste exótico país onde a polícia não pratica tiro ao alvo com professores, a sistemática política de valorização do magistério produz resultados capazes de espantar até um pitbull da PM: a carreira de professor na Finlândia tornou-se uma das principais preferências entre os jovens, à frente de profissões como medicina, direito e arquitetura.

“O magistério na Finlândia é uma carreira de prestígio”, diz o professor Martti Mery na escola finlandesa Viikki, que também funciona como um centro de treinamento de professores vinculado à Universidade de Helsinque.

“A profissão possui um alto status em nossa sociedade, que tem grande respeito e consideração pelos professores”, ele acrescenta.

A invejável cultura finlandesa de dignidade profissional dos docentes e respeito ao professor foi forjada na revolução educacional conduzida pela Finlândia a partir dos anos 70, que alçou o país para as posições mais elevadas do ranking mundial de desempenho escolar.

A transformação que se produziu incluiu um fator de relevância especial: o nível de excelência dos professores. Todos os programas de formação de professores, que anteriormente eram realizados fora do âmbito do ensino acadêmico superior, foram levados para dentro das universidades, todas elas gratuitas. Mais: obter um mestrado tornou-se a qualificação básica e obrigatória de um professor para poder ensinar nas escolas finlandesas – mesmo na educação pré-escolar.

“No fim dos anos 70, a formação dos professores finlandeses passou a constituir um programa de mestrado com cinco anos de duração, que se dá portanto nas universidades do país. Desde então, gradualmente cresceu entre os professores o sentimento de pertencer a uma categoria profissional altamente educada e prestigiada”, diz o educador finlandês Pasi Sahlberg, um dos arquitetos do chamado milagre finlandês.

A exigência do grau de mestre para os docentes foi uma medida significativa da reforma educacional, observa Sahlberg:

“Isso não só elevou toda a categoria dos professores como profissionais, como passou a dar a eles um profundo conhecimento sobre os mais recentes avanços da pesquisa em suas respectivas áreas de ensino”, ele diz.

Outro aspecto crítico para o sucesso do modelo finlandês foi o desenvolvimento de uma relação de respeito com o professor, e de boas condições de trabalho nas escolas. Como, por exemplo, uma divisão equilibrada do tempo em que um professor necessita trabalhar dentro e fora da sala de aula.

É esta, dizem os finlandeses, a melhor forma de atrair profissionais jovens e talentosos para a carreira de professor nas escolas públicas.

“A experiência finlandesa mostra que o principal é garantir que os professores sejam tratados com dignidade, a fim de que possam concretizar o objetivo de escolher o magistério como a carreira de uma vida inteira”, enfatiza Pasi Sahlberg.

Foto.Finlandia.Professora.computers

Cursos de doutorado para professores também são disponibilizados, gratuitamente, nas universidades do país. O Estado finlandês investe ainda cerca de USD 30 milhões a cada ano para o desenvolvimento profissional de professores e diretores de escola, através de cursos universitários e programas de reciclagem.
Foi assim, e não tratando professores como bandidos, que os finlandeses criaram uma legião permanente e aplicada de candidatos ao magistério no país.

A carreira de professor tornou-se uma das mais competitivas do país.

A mídia finlandesa divulga regularmente resultados de pesquisas sobre as preferências dos estudantes do ensino secundário, que sistematicamente apontam o magistério entre as profissões mais desejadas.

A cada primavera, milhares de jovens se candidatam a uma vaga para estudar nos departamentos de formação de professores das universidades da Finlândia.

Mas apenas os melhores e mais preparados estudantes podem se tornar professores na Finlândia: no exigente sistema finlandês, apenas cerca de 10% dos candidatos são em geral aprovados para cursar o obrigatório mestrado na universidade.

“A carreira de professor é extremamente popular aqui na Finlândia. Mas os exames de admissão são competitivos a tal ponto, que chegam a intimidar os candidatos. Por isso, nem todos os estudantes que desejam seguir o magistério chegam a se candidatar, por medo da reprovação”, diz Niklas Nikanorov, do Ministério da Educação e Cultura finlandês.

Em 2014, diz Nikanorov, apenas 8,9% dos 7.469 candidatos ao curso de formação de professores da Universidade de Helsinque foram aprovados. No mesmo ano, 1.597 estudantes candidataram-se ao curso de medicina da instituição, e 11,7% foram aceitos.

Sim, é isso mesmo: na Finlândia, o magistério é mais popular que a medicina.

“Do total de 139 mil estudantes universitários em todo o país, mais de 10% estudam ciências educacionais”, acrescenta Niklas Nikanorov.

Para realizar o sonho de se tornar um professor, um jovem finlandês deve ser dono de um robusto currículo escolar – além de obter excelentes notas na prova nacional de conclusão do ensino secundário, e também no exame prestado especificamente para a candidatura ao curso universitário, com perguntas focadas em um amplo conjunto de tópicos educacionais.

Na segunda fase de seleção para o acesso à universidade, os candidatos mais bem colocados da etapa inicial passam por uma série de entrevistas para explicar, por exemplo, porque decidiram se tornar professores. No final, só entram os best and brightest.

Conquistado o diploma, o professor vai receber um bom salário – mas que se situa dentro da média salarial do país como um todo (3,284 euros, segundo a agência nacional de estatísticas da Finlândia). E na igualitária sociedade finlandesa, assim como na Escandinávia em geral, as diferenças entre os salários não costumam ser exorbitantes.

O salário médio de um professor primário finlandês é de 3,132 euros mensais (cerca de 11,8 mil reais). Professores do ensino médio recebem 3,832 euros, e docentes de universidades ganham em média 4,169 euros por mês (15,7 mil reais).

Vamos comparar: um “käräjäoikeustuomari” (juiz de primeira instância) na Finlândia recebe em média 5,797 euros mensais (cerca de 22 mil reais). Um engenheiro ganha 4,577 euros. Um médico, 7,296 euros. Uma enfermeira, 3,488 euros. O diretor-executivo de uma empresa, 6,755 euros em média.

Um deputado federal brasileiro entraria talvez em estado comatoso ao descobrir o valor do salário de um parlamentar finlandês: 6,355 euros mensais (aproximadamente 24 mil reais) – mas sem direito a verbas indenizatórias ou penduricalhos extras. Isso para viver em um país caro que possui uma das mais elevadas cargas tributárias do mundo, onde o cidadão paga cerca de 51,5% de impostos sobre sua renda.

No Brasil, além do salário de R$ 33,7 mil, um parlamentar recebe ainda o chamado cotão (média de R$ 33.010,31), verba de gabinete para até 25 funcionários (R$ 78 mil) e variados benefícios extras, como ajuda de custo, auxílio-moradia e plano de saúde cinco estrelas. Os privilégios se multiplicam ainda mais na esfera da Justiça, em que o dinheiro dos impostos do cidadão chega a bancar uma obscena Bolsa Educação para pagar escolas particulares para filhos de juízes do Rio de Janeiro.

Enquanto isso, os professores brasileiros estão entre os educadores mais mal pagos do mundo – segundo apontou em 2014 o ranking internacional divulgado pela OCDE a partir de dados dos 34 países membros da organização e dez parceiros, incluindo o Brasil.

O valor do piso salarial dos professores brasileiros: R$ 1.917,78. Para professores da rede pública com diploma de licenciatura no início da carreira, o salário-base médio é de R$ 2.711,48 (excluindo gratificações).

No resto do mundo, países como a Suíça, a Holanda e a Alemanha pagam salários mais altos aos professores do que a Finlândia, apesar de registrarem índices mais baixos de desempenho escolar. No estudo da OECD, a Finlândia aparece em nono lugar na lista dos países que melhor pagam seus professores.

Qual seria então a principal motivação de uma pessoa para se tornar um professor na Finlândia?

“Respeito”, responde o professor Martti Mery, da escola Viikki.

Tal é a confiança nos mestres, que não existe nenhum tipo de avaliação formal do desempenho de professores na Finlândia. O sistema nacional de inspeção escolar, que antes exercia esta função, foi abolido no início dos anos 90.

“Controlar o desempenho do professor não é uma questão relevante na Finlândia. A premissa básica é de que os professores são, por definição, profissionais altamente educados que realizam o melhor trabalho possível nas escolas”, diz o educador finlandês Pasi Sahlberg.

Entregar a liderança do sistema a profissionais da educação também é parte da fórmula do milagre finlandês, observa Pasi Sahlberg:

“Discordamos da visão de que a melhor forma de desenvolver a educação é colocar o controle das escolas nas mãos de administradores sem experiência no setor, na esperança de que um gerenciamento de estilo empresarial vá elevar a eficiência. Na Finlândia, todas as autoridades do setor de educação estão, sem exceção, nas mãos de educadores profissionais”, ele destaca.

A taxa de sindicalização da categoria é uma das mais altas do mundo: 95% dos professores finlandeses são filiados ao poderoso Opetusalan Ammattijärjestö (OAJ), chamado de “A Voz dos Professores”.

“O modelo finlandês mostra que a colaboração com sindicatos de professores, e não o conflito, produz melhores resultados. As evidências são claras, e é este o caminho a seguir”, diz Pasi Sahlberg, que hoje atua como professor visitante da Universidade de Harvard.

 

1.074 thoughts on “A diferença entre ser professor na Finlândia e no Brasil

  1. Wilson Moreira says:

    Especial. Grato pela relembrança de eu, Claudia! Finlândia que não conheço mas, seguramente, está entre os países mais inovadores do mundo. É aquele trinômio fabuloso: Suécia, Noruega e Finlândia! E mais embaixo cruzando a linda ponte e tunel submarino de Oresund está outro país escandinavo fantástico: a Dinamarca da extinta Stella Heidelgaard…

  2. Paulo Souza Souza says:

    Excelente. País desenvolvido, povo – generalisando – educado, é outra coisa. Em contrapartida, vemos por aqui, também, professores, quando em greve partindo com tudo – paus e pedras – pra cima de policiais, também, seres humanos e chefes de família. Em termos culturais, fizeram, os depravados e covardes políticos, de nosso país, a latrina da humanidade!….

  3. Leonardo Henrique Panza says:

    Meus olhos enchem d’água qnd começo a ler essas coisas…sou de uma família de professores…sou professor…
    Ñ é fácil viu…nem terminar de ler esse texto sem se sentir de certa forma humilhado não consigo… Um dia quem sabe…um dia quem sabe…

  4. Larry DE Carvalho says:

    Aqui não interessa à classe dominante uma inclusão social e educação qualificada. Por que esta denuncia de corrupção da Petrobras? Eles estão de olho na obrigatoriedade de aplicar 25% do Pré-Sal na educação a partir do ano que vem. E ai, imaginam as consequências daqui uns anos…

  5. Marcelo Carlos says:

    Reparem que entre profissionais não ocorre diferenças salariais abissais, como ocorre no Brasil. Aqui há uma cultura de subalternilização de uns profissionais em detrimento de outros. E isso não deveria acontecer. Parece que se cultua que uma profissão é msis importante que outras. Eu não sei exatamente como é, mas parece um sistema de castas ( que souber melhor como funciona esse sistema, favor contribuir com seu conhecimento).

    • Marcelo Carlos says:

      Brasil é o país dos passa-pernas. O brasileiro nega sua própria cidadania e patriotismo. Queria ser estrangeiro dentro de seu próprio país. Mas não quer morar em outro, ser estrangeiro lá. Tem medo de represálias. Então transmuta-se em sua mente em estrangeiro dentro de seu país, para exatamente fazer as mesmas coisas com seus pares, aplicar o que supostamente receberia como pessoa não pertencente ao país que vive. Paradoxal.

  6. Marta Moura says:

    Já quem está na carreira está sendo destruído por alunos e pais irresponsaveis! Nesse país se tem uma profissão que não vale mais perder 4 a 5 anos em uma faculdade, é de professor, no máximo o que você vai conseguir e se afundar em uma profunda depressão! Esse é o resultado!

  7. Gil Medeiros says:

    Valorizar o professor é valorizar o seu próprio filho como médico, como engenheiro, como enfermeiro, como policial, como muitas e muitas profissions que se sem o professor não existe profissional e sim políticos sem se quer com o ensino fudamental concluído, esse é um país que engatia em suas leis e em seu caráter moral.

    • Regina Lorenzini says:

      Não fiz greve, mas respeito quem fez. Se no Brasil o respeito à educação fosse o mesmo que na Finlândia, com certeza não haveria greves. Por que lá, eles precisam de greves, se há respeito e dignidade a essa profissão tão importante? O que nos falta é que nós respeitem , que nos valorizem.

    • Elenai Krauss says:

      O desrespeito dos estudantes, da família aos professores vc não cita, né?! Muitos acordam de madrugada pra ir à escola, na hora do almoço correm para outra escola, não tem nenhuma qualidade de vida mas o professor é sempre o culpado. Mentes assim que dominam a politicagem.

  8. Jorge Henrique says:

    e tudo começou simplesmente aumentando o salário para um patamar justo para a profissão, que passou a ser interessante como carreira e por aí foi… pessoas mais preparadas eram as escolhidas, as pessoas começaram a se preparar, o sistema melhorou parta prepará-las… e a Finlândia melhorou como um todo.

  9. Socorro Ramos says:

    Aqui quanto ganha um juiz, um senador, deputado governador presidente , ministros desembargador etc, etc sem contar com gratificações que somadas são maiores que o salário oficial deles , uma copeira na câmara de Cunha ganha 9.000,00 para servir cafezinho , e um professor não chega a 2000,00 isto é uma vergonha

  10. Nilber S. Ramos says:

    Sei que o Brasil não presa a educação, e os professores que as universidades governamentais formam, são em sua maioria propagadores de ideologias marxistas, fato que só fomenta o atraso da população e do país.
    Há professores empenhados também, porém sofre por falta de estrutura e incentivos, tanto por parte do governo e por falta de interesse dos alunos, na busca do conhecimento.

  11. Marco Carrero says:

    O problema é no Brasil o magistério virou plataforma para reengenharia social e ideológica ao invés de cuidar de educação que prepare o aluno para as etapas de sua formação acadêmica. Ele é mau remunerado pois para o estado ele é apenas uma ferramenta ideológica; o professor não tem o direito de abusar do seu cargo e da audiência cativa dos alunos para promover suas convicções políticas e ideológicas, deveria antes respeitar o direito dos pais dos alunos sobre a educação moral dos seus filhos.

  12. Alfonso Schmitz says:

    Pra mim a profesores e prosseguimento da família minha professora ainda está viva sra eloa Muniz roesner eu tenho muito carinho por ela até hoje mas infelismente tem alguns profesores que se vendem pra políticos isto desmoralizá a clase falta uma lei que não seja de comunistas evalorusar o professor com salários melhores e respeito o aluno que tentar bater num prafesora deveria ser expulso da escola e profesores não se submeter a greves articuladas por políticos adversários isso e ridículo eu não sou professor mas tenho grande admiração por todos eles

    • Luiz Gonzaga S Lima says:

      Rosa Vargas, você que se considera intelectual não tem a capacidade de fazer uma leitura sócio-econômica da situação do país, nada funciona neste governo, todos os indicadores de desenvolvimento estão péssimos, não existe planejamento e controle em nada que se faz, os projetos com custos e prazos sempre acima do negociado, corrupção desenfreada, saúde não funciona e muito menos a educação, um país comandado por leigos e péssimos gestores. Para seu conhecimento, fui da UNE e petista desde a formação do partido, mas logo vi que os ideais originários foram desvirtuados, hoje o PT é um partido com gestão ideológica e populista, sem rumo e sem condições de governar o país. Não preciso estudar História para enxergar o caos que estão levando o Brasil, você sim precisa estudar um pouco mais de economia para não ficar tão alienada. Procure arrumar um emprego na iniciativa privada, seja gestora, trabalhe em planejamento estratégico, cuide de equipes e depois volte para a discussão. Deixe de ser teórica, acadêmica e seja mais prática, vá produzir alguma coisa para ajudar o país sair desta merda que o PT o colocou.

    • Luiz Gonzaga S Lima says:

      Falar que o PT fez alguma coisa para a educação é uma piada de mau gosto, olhe só os indicadores de qualidade, estamos sempre ocupando as últimas colocações no ranking global, eta pessoal alienado e desqualificado para emitir opiniões infundadas, sem dados estatísticos, e depois nós que somos coxinhas e despreparados

  13. Léia Leite says:

    Comparar o Brasil com a filandia não tem como… estamos em evolução… enquanto o Brasileiro colocar a culpa de tudo no governo ficaremos estaticos… sem dúvida a educação e a solução para tudo… mas gente comparar com a Finlândia? ?? Olha o tamanho e a diversidade do nosso País… somos Terceiro Mundo e em pleno crescimento… um país onde a Elite não quer que a educação melhore porque não querem perder seus empregados… Acorda Brasil… A Culpa é sempre nossa!!!! !!

    • Clara Leonor Vaz Guimaraes says:

      Voce esta correto. Não podemos nos comparar. No entanto podemos nós comparar com paises mais jovens que nosso.. Temos mais de 500 os EEUU 470, Canada tem 300 anos e a Australia tem 200 anos e ela é a 5 anos considerada o melhor pais do mundo para se viver. Como voce vê a sua avaliação do nosso pais é correta e Nós Somos os Culpados.

    • Léia Leite says:

      Concordo com vc..mas o gde problema do nosso país e o tamanho e a diversidade… fora que nossa colonização foi de exploração e não de um novo país que é bem diferente. .. uma colonização de fazer um novo país é diferente de uma colonização de exploração. .. em fim … concordamos em tudo.. . Abraços

  14. Luiz Antonio Mauro says:

    Legislando em causa própria, para tirar proveito máximo da função pública, políticos privilegiaram a si mesmos, junto com a elite judiciária e os fazendários da arrecadação, pasmem até com inserção na carta magna, e menosprezaram, de caso pensado, as carreiras ligadas à saúde, à educação e à segurança pública, justamente as mais nobres, de maior contingente numérico e bem por isso as de custo financeiro mais expressivo para o erário público. Isso foi facilitado pela fragilidade e parcialidade da nossa Constituição.

  15. Izabel Cristina Kröger says:

    Parabéns a Finlândia,um país que se respeita valoriza o seu professor,tão importante ou até mais que um médico, o professor lida com vidas.As vidas de de uma sociedade, mais justa,igualitária, solidária.Uma sociedade compartilhada.

  16. Luiz Schünemann says:

    Comparar o Brasil com a Finlândia parece ingênuo. Mas é importante saber que até pouco tempo atrás a Finlândia era um dos países mais pobres e atrasados da Europa. Basicamente uma economia agrícola. E se eles progrediram muito outros também podem!

    • Mari Dantas says:

      exatamente, nos vivemos 500 anos com uma elite que nunca deu valor a educação, sempre viu a educação no pé do chinelo…até pq através da ignorância do povo a elite podiam pisar nela e roubar….Certamente, ainda estamos mto distante de ter uma mudança real nas nossas escolas, até pq o ensino privado dominou e as escolas públicas ficaram sucateadas..Mas, eu ainda tenho tenho esperança, se não fosse por esta educação, masi consciente, que ainda temos o povo seria na sua totalidade uma marionete..E estamos aqui nós, para ver e querer algo melhor para o país, resistindo e cobrando mais dignidade….

  17. Dolesia Schroder says:

    O professor é uma das profissões mais importantes, pena que estes profissionais tão gabaritados, cultos, dedicados, tenham como presidentes dos seus sindicatos elementos incompetentes nas negociações, muitas vezes (nem todos) mal intencionados, maldosos nas intenções. A minha opinião é que o sindicato desta alta classe que considero os professores deveria ser presidida por um professor sem vínculos partidários. É só acompanhar as manifestações de professores onde estes são expostos a violencia. Uma manifestação bem planejada com autorizações de itinerário e proteção policial requerida sempre acaba bem. Exemplo que um sindicato dos profissionais da justiça federal, desfiliou-se da CUT.

  18. Ayres Pacheco Moura says:

    Por incrível que pareça, no vizinho Chile, os professores são valorizados e têm muito prestígio. Quando estive lá, identificando-me como “Maestro” , o trato mudava imediatamente. Na Nova Zelândia é a carreira mais ambicionada, pois além de salário Digno, as escolas tem dois meses de aulas e férias de duas semanas, sem contar com as de verão (dois meses) e inverno, afinal eles não vão ficar sem praia e esquiar, nas temporadas, né???

  19. Ed Carlos Soares says:

    Ai o povo vota no psdb né, o novo plano do governo de São paulo anunciado ontem pode fechar até mais de mil escolas, obrigando crianças a se locomover ate para outros municípios para estudar, alem das mais de trés mil salas de aula ja fechadas em nosso estado este ano, isso a globo não mostra, alias FHC um verdadeiro gênio criou a aprovação automática que destruiu o nosso sistema de ensino.

  20. Vitor Augusto Gomes says:

    Finlândia, ora a Finlândia…Irrelevante! É só o PRIMEIRO “I.D.H.” do planeta e que tem uma política migratória que PROTEGE o país e o povo nativo! Enquanto isso, debaixo do sol tropical…Bá! Não vou detalhar coisa alguma! Serei conciso: TENHO NOJO DO “PETISMO”!

  21. Sebastião Correia da Silva says:

    O Brasil é o país da inversão de valores. Agora, governado por bandidos ficou muito pior. Tudo aqui é o contrário: o certo é errado, o errado é certo. Também, tendo os políticos canalhas que o Brasil sempre teve, e agora bem piores, o resultado só poderia ser este, ou seja, um professor, que é o inicio de tudo o que aprendemos academicamente, é o alicerce para qualquer outra profissão, sendo mediocrizado do jeito que é. Quem decide ser professor aqui no Brasil, é muito vocacionado, é muito altruísta, é talhado para o ofício.

  22. Wolney Castilho Alves says:

    Não gosto, não acho correto esse tipo de matéria, prezada Claudia Varejão Wallin. Vivemos sob uma guerra profundamente instalada onde o principal agente mobilizador é a linha “o Brasil é uma merda”; você vive “em um país de ladrões”. Esse tipo de matéria sobre a Finlândia, sobre os países escandinavos não mostra saídas, não mostra os porquês de cada situação. Ao contrário, reforça a linha de rebaixamente máximo do amor próprio de cada cidadão. E isso sob o comando das classes sociais que engendram golpes, como o que vemos em curso, para que tudo continue como está, ou melhor, para que os pequenos avanços conquistados recentemente, sejam subtraídos.

  23. Anna Margarida Mossa says:

    Que tal você sugerir à governante desta ‘pátria educadora’ que use o dinheiro roubado das empresas estatais para fazer uma campanha diuturna, afim de que os pais dos futuros professores ensinem seus filhos, para que eles possam ensinar e valorizar os mestres, como fazíamos há quarenta anos….. RESPEITO….. É O QUE FALTA!

  24. Manuel Filho says:

    Independente do município, estado ou união, os professores são maltratados, são mal remunerados e ainda são tratados como coitados. Eu moro em fortaleza e aqui sobre o governo do PT e dos seus aliados apanhamos com direito a cassete da polícia e gás lacrimogêneo da guarda municipal. O que os professores brasileiros precisam é adquirir consciência de classe, e pararem de tá idolatrando partidos que há anos estão governando nosso país.

  25. Claudio Dias says:

    SE NÃO VIRAM, VEJAM ANTES QUE BLOQUEIEM, E SE SINTAM COMO EU.: OTÁRIOS, BRASILEIROS IDIOTAS, BRIGANDO ENTRE SI POR PARTIDOS E POR POLÍTICOS!!! ROUBO DE NOSSOS MINÉRIOS INCLUINDO O NIÓBIO – VEJAM A TRAIÇÃO AO POVO BRASILEIRO!!
    Dr Ribas denúncia escândalos maiores que da PÉTROBRAS e a conivência de todos os presidentes, e afirma que somos roubados pela nossa propria nação.
    https://www.youtube.com/watch?v=Wq3h8lQQOtw&feature=share

  26. Eduardo de Carvalho says:

    Nós enquanto país periférico, somos vítimas de governantes lacaios do capitalismo, que cumprem bem o seu papel e o resultado sentimos diariamente, com um maior intensidade para quem é professor de uma rede pública, funcionário da mesma, ou aluno e familiar da mesma. A nossa pequena burguesia, que paga 2 vezes o colégio particular de seu filho, esta preocupa-se apenas com a suposta violência que venha ocorrer, afinal atribui a mesma uma falha de caráter e nunca a desigualdade social. E aí vêm uma série de processos conciliatórios de classe, que evitam a superação do próprio sistema em si, e aí ficamos engessados, nesta ou naquela aplicação meritocrática.
    Enfim, é isso aí….

    • Mauro Ferreira says:

      Se a culpa é do capitalismo, porque os países aonde os professores são mais valorizados são capitalistas e aonde o são menos os governos são de esquerda ? Seu comentário mostra uma inversão de valores aonde transparece um viés de esquerda forte o bastante para impedi-lo de perceber a verdade. Uma pena, pois isso ainda vai te causar muito sofrimento.

  27. Nazareth Schmidt says:

    Houve uma epoca no Brasil que professores eram respeitados como.medicos, advogados, juizes etc.Tenho fe em Deus que o BRASIL vai dar a volta, tomara que seja mto breve pois nao aguentamos mais vever nesta instabilidade

    • Gilberto Bortagarai says:

      __Não acredito em mudanças, enquanto ainda combatemos a fome, desigualdades socias (um imperativo dos partidos políticos) e falsos representantes do povo, fazendo o “trabalho do bolso”! Teríamos que fechar o Congresso, passar p/Parlamentarismo. Seria apenas, um recomeço de pais sério! Até sempre!

  28. Alex Morais says:

    As diferenças estão entre ser Brasil e ser Finlândia, onde quase tudo é diferente, ex:: A idade da civilização, quem iniciou essa civilização, a área geográfica, a quantidade da população, o clima etc. Em suma, entre os dois países, não existe quase nenhuma similitude. Porém, se guardadas as devidas proporções, eu sou mais o Brasil, com o seu clima, sua topografia, seu povo etc. Mas, se houver algum exagero de minha parte, liga não. É que sou ufanista, amo este País e gosto de sua gente. Para se ter uma idéia, acho que aqui é o melhor lugar do mundo para ser feliz.

  29. Hugo João Frantz says:

    Quem remunera professores, nos 3 níveis, são respectivamente Prefeituras, Estados e Governo Federal…cobremos à cada ente federado de acordo com suas responsabilidades…Pátria Educadora é uma meta…não cobrem do governo federal além do que é de sua responsabilidade, que são os repasses ORÇAMENTÁRIOS, e que são feitos mensalmente. Quem cobra do governo federal o que é de responsabilidade do prefeito e dos Governadores, na verdade não está preocupado com a remuneração dos professores, está preocupado em fazer políticalha.

  30. Janete Vieira says:

    É bom verificar bem esta “ESTÓRIA” de policial praticar tiro ao alvo com professor: você estava lá???? Procura saber com quem estava e não pertencia ao famigerado PETISTA APP SINDICATO, tá? Falar é fácil, escrever, mais fácil ainda… Lamentável!!!

  31. Jose Marcos Ribeiro Costa says:

    Eu fiz o primario, ginásio e, científico de engenharia nas décadas de cinquenta (finalzinho,claro!), e na de sessenta em escolas públicas, meus professores eram verdadeiros “mestres”, é com certeza a profissão mais importante, pq sem ela não existiriam bons médicos, engenheiros, arquitetos, etc…É a base sólida lá atrás q levará o jovem aonde ele quizer, mas sem os professores isto é impossível!

  32. Noemia Rocha says:

    Eu ao longo da minha vida conheci exelentes profissionais da area da educação. Infelizmente hoje já não posso dizer o mesmo,houve uma “infestação“de profissionais que mancham a profissão.É preciso dar uma “peneirada“.Talvez muitos vão discordar,mas é a mais pura verdade!

  33. Órion Costa says:

    A Finlândia serve de exemplo para qualquer país do mundo em Sistema de Ensino. A principal causa do grande desenvolvimento econômico e social do país nos últimos vinte anos. É sensacional.

    • Adonal Santos says:

      Esses professores que a Ester Camargo se refere são esses que são capachos de partidos e sindicatos e outros sanguessuga, e realmente mancham a imagem da mais nobre profissão que são realmente marginalizadas por esses governantes corruptos.

  34. Bettina Mueller says:

    Aqui no Brasil também era assim até fins da década de 50!… A partir de então, teve início uma vergonhosa desvalorização do ensino e, consequentemente, da figura do professor. Lamentável, vergonhoso, catastrófico!!!

  35. João Avelino Leite Avelino Leite says:

    É bom que fique claro que, na Finlandia o salario mais alto não ultrapassa 4 vezes o menor salario. Só valorizar o professor sem valorizar os pais de alunos tambem a educação não vai melhorar. Temos que lutar para vincular o salario minimo ao salario do presidente da republica e dos ministros do STF em pelo meno 10% do salario deles. Em torno de R$3.370.00 p/m para que nenhum trabalhador precise ser subsidiado com esses programas paternalistas do governo.

  36. Marcus Vinicius Fragoso says:

    Tudo bem. Só que PROFESSOR lá é “PROFESSOR” mesmo, e não baderneiro metido a “comunista”, macaco de auditório de Cuba, Fidel Castro e Che Guevara.
    Professor lá é EDUCADOR, e não agente propagador de ideologias totalitárias ultrapassadas e luta de classes. Professor lá tem postura e atitude de professor.

    • Ismael Jesus says:

      Tudo bem: professor lá é professor mesmo e não baderneiro metido a liberal e FASCISTA, macaco de auditório dos EUA ou das Fundações “Democrática” Irmãos Kosch (republicanos)”, do McCAINN (senador republicano aliado dos neonazis na Ucrânia), de Soros (um fdp financista e dos responsáveis pela crise mundial) e Pinochet (genocida anticomunista chileno).

    • Ismael Jesus says:

      Professor lá é educador e NÃO ADESTRADOR DO MERCADO; lá a saúde e a educação são ESTATAIS, por exemplo; e não agente propagador dos interesses das multinacionais e de ideologias totalitárias de um mercado absoluto e a partir de ideias HIERARQUIZANTES E RACISTAS ultrapassadas de matiz fascista. É por isso que você não ama os “comunas”, velhinho? Um abraço red liberty counscience!

    • Ismael Jesus says:

      Não existe DIREITISTA OU LIBERAL CONSERVADOR inteligente por que todos são fundamentalistas de mercado e dos valores arcaicos tradicionais. A maioria esmagadora das inteligências são progressistas, de esquerda por que não temem o NOVO e QUESTIONAM esse sistema de MERDA.

    • Felipe Cordeiro Maroja says:

      Quem te disse isso? E quem te disse que ser professor não é falar sobre lutas de classe também? Paulo Freire já dizia que não existe educação neutra, dizer que educação neutra existe, é o mesmo que ser a favor da ideologia dominante. Professores existem e de todos os tipos, posso garantir-lhe isso. Sejam marxistas ou conservadores!

    • João Carlos Moreno says:

      Marcus Vinicius Fragoso, você está corretíssimo. Não ligue para esses comunistas revoltados. Eles devem ser daqueles “professores” que adoram fazer greve de 2, 3 meses todos os anos; dos que pregam nas escolas uma ideologia ultrapassada e fracassada; que pensam em dividir a riqueza dos outros sem trabalhar para conquistar; discípulos de Paulo Freire que significa discípulos do atraso. Enfim, responsáveis pelas notas baixíssimas e vergonhosas dos alunos brasileiros em avaliações internacionais. E por aí vai…

    • Enoe Cristina Barreto says:

      Os professores de vcs, se estiverem lendo estas declaracoes de odio e preconceito, devem estar morrendo de vergonha, diante de tanta ignorancia…. Vcs deveriam visitar as salas de aula para entenderem o que realmente acontece por la, quem sabe, consigam aprender alguma coisa.

  37. Mari Dantas says:

    MArcus Fragoso vc está equivocado, Na escandinavia, o professor tem autonomia, e não eh “castrado” pra dar suas aulas….Não existe ensino sem ideologia, se vc não sabe, fique sabendo…..

  38. Luiz Antonio Furlan says:

    A culpa é quase total dos próprios professores que não sabem votar, olha que faz tempo mas quando ainda estudava professores sempre tiveram uma queda pelo esquerdismo e isso continua até hoje, vejam no estado de São Paulo, eu não consigo entender como Professores e Policiais Militares votam nesse PSDB.

  39. Maria Das Neves Rocha says:

    E um ex-ministro da educação disse que se quiser ganhar bem não queira ser professor. Só neste Brasil do atraso porque ainda não acertamos ou melhor nunca acertaremos enquanto candidato for escolhido por partido. Tem mesmo é extinguir estes partidos que atrasam o Brasil demais. Campanha avulsa e você verá a mudança.

  40. Valdinei Silva says:

    Comparar sistema educacional da Finlândia com o do Brasil e o mesmo Q comparar uma Mercedes com um fusca .Os professores são extraídos dos10% entre os melhores colocados graduados e lá policial e policial e não bandido .

  41. Valdir Mueller says:

    Precisamos primeiro expulsar e aniquilar os corruptos, os políticos e qualquer ameaça de socialismo bolivarianos petralha, então será possível fazer uma tralho de reconhecimento, pois o povo e as famílias aprovarão.

  42. Sergio Castro says:

    marquês de Pombal deixou seu nome na história como inimigo dos padres jesuítas

    Sebastião José de Carvalho e Melo passou à história conhecido por seu título de nobreza, Marquês de Pombal. Sua família era nobre, mas os pais de Sebastião não tinham muito dinheiro. O rapaz estudou Direito por um ano na Universidade de Coimbra e não gostou. Entrou para o serviço militar, como cadete e também não se adaptou. Depois de uma vida de solteiro bastante agitada, casou-se com Teresa de Noronha e Bourbon, dama da rainha Maria Ana de Áustria.

    Quando completou 39 anos iniciou sua vida pública: foi embaixador (representante do governo português) na Inglaterra – onde sua mulher veio a falecer – Aqui no Brasil ele também expulsou os padres Jesuitas quando percebeu que já existia 1250 escolas no Brasil, fundada pela ordem Jesuitas, foi o começo da desigualdade que até hoje, para mudar este quadro é preciso na minha opinião, temos que mudar primeiro é o nosso interior, as nossas atitudes morais, dialogar mais com o mais pobres, dando bons exemplos, praticando coisas com mais honestidade, é muito bom ser honesto e respeitar mais o próximo e não ficarmos criticando A ou B, fui aluno da Fundação do Abrigo de Cristo Redentor esta escola era voltada para meninos de ruas, peços que pesquise esta instituição, vocês vai entender melhor ok, abrços.

  43. Andre Gaspar Schmidt says:

    A nossa cleptocracia ficou mais evidente com passar dos anos, afinal, aqueles que bradavam contra os militares assumram o oder e, para espanto geral, o que criaram , o ue melhoraram…..criança não reprova mais….., os salários comparativamente no período militar , os mestres recebiam mais, mas, é cleptocracia e, estes governos que ai estão, muito estão lá por voto maciço de professores……

  44. Vilma Barbosa says:

    A frase do início do artigo me desanimou totalmente a leitura. Certamente naquele país também não haja jornalistas mentirosos, manipulados pela mídia, ignorantes fazedores de iguais. Quemse presta ao papel de difamar uma Instituição não merece o devido respeito.

  45. Talma Sampaio Mauricio Campos says:

    E, aqui em Goiás estão querendo a terceirização da Educação!!!!!!!!! Tem é investir mais em capacitação dos professores e instalações prediais melhores e acabarem com esse pacto com as editoras e fornecer livros didáticos que façam criarem oportunidades dos alunados aprenderem e formarem seu conceito de acordos com a suas vivencias e não como o governante da hora deseja………..

  46. Jorge Marcos Souza says:

    Aqui no Brasil, no início do ano, os professores estaduais entraram em greve por melhores salários. Até aí eu achava justo, até o dia em que percebi que essas greves ocorriam apenas em estados governados pelo PSDB, então vi que o PT comanda esses sindicatos de professores, e a classe perdeu o moral comigo, e hoje já não me importo mais. Não acredito que os professores da Bahia, Ceará, Minas e Piauí, governados por petistas estetjam ganhando tão bem assim para não entrarem em greve também. A partidarização desmoralizou a classe.

    • Sybila Atlas says:

      Jorge, vários estados em que os governantes são do PT entraram em greve mas a mídia não mostrou (deveria ter mostrado!). Eu sou do Paraná e te digo com conhecimento de causa que temos um dos piores governadores que o Paraná já teve. As escolas estão altamente sucateadas! Vc já fez uma pesquisa de como está o ensino no estado de São Paulo? Ainda pior que aqui! Então reflita e pense se é por causa do partido mesmo.

  47. Amaral says:

    O mais impressionante, no sentido negativo, foi ver que não comentários sobre um tema da mais alta relevância como esse. Realmente, o Brasil é um país que não tem e não se importa com a educação!

  48. Rosiani Paim says:

    Nós também temos professores maravilhosos e que devem ser respeitados. O problema maior e a corrupção que assola o Brasil. Garanto que lá não tem nem dez por cento comparado com nosso país. Onde não existe crescimento social e econômico, dificilmente seremos um país que nem a Finlândia. E todos nós somos responsáveis, o problema que somos alienados e aceitamos qualquer coisa que vem desses políticos corruptos. A corrupção e o mal, o câncer que devassa tudo de bom que poderia ser feito.

  49. Geraldo Dalla Nora says:

    A formação cultural e religiosa do povo finlandês é muito diferente da nossa , eles tem raizes raciáis e religosas que sempre priorizaram a ética em vez de leis e tradições religiosas ,. Nós por aqui tivemos desde os primordios de nossa formação religiosa , (Império e Brasil Colonia) a educação baseada em uma doutrina religiosa, onde o sacramento da confissão perdoava qualquer pecado , então o nosso povo , baseado nesta premissa , roubava , corrompia, sonegava impostos etc… sabendo que depois confessavam e estava tudo perdoado ,e nada de devolver o mal havido . nos paises protestantes do norte da Europa , não existia este conceito de o padre ou bispo perdoar os pecados , a unica forma de ser perdoado entre eles, é reparando o mal feito, restituindo o roubado etc…. e iste costume foi atravéz dos séculos incutindo no subconciente destes povos esta forma de ser cidadão. Quem por acaso achar que isto não é verdade, sugiro uma comparação de paises de cultura protestante e com paises parecidos com o nosso .

  50. Rita Lickss says:

    Carreira com seleção de ingresso, formação continuada, produção didática, estudos sistematizados, filosofia educacional consistente, políticas educacionais perenes e não sazonais como aqui…… E por aí vai….

  51. Gustavo Mesquita says:

    Igualzinho aqui…. O Brasil não é a “pátria educadora” ?? Piada… enquanto a educação pública não for levada a sério PRA VALER esse país não vai melhorar em nada…e como os políticos sabem disso…a educação pública NUNCA vai ser levada a sério pra valer no Brasil. Fim de mundo..quero sair daqui…

  52. Savio Teodoro says:

    O nosso país nem existia democracia…mas chegaremos la…finlândia..gastaram 30 anos num plano pra se chegar aonde chegou…professores serem tratatos como uma celebridade…nós iremos chegar la…depende tb d governos de ES.TA.DO…

  53. Nelson G. Bruschi says:

    Por favor. Note bem que estás falando em PROFESSORES, que não é o caso do BRASIL. Aqui há uma classe politizada e ideologizada e que lhe sobra pouco tempo para o NOBRE exercício, então, desgraça pouca é bobagem!

  54. Jonas Barbosa says:

    Não tem nem o que falar…. acontece que lá as pessoas se reconhecem como iguais…. aqui não…. temos o problema do senhor/escravo/índio ainda não resolvido….. sem falar nos imigrantes que vieram com a mentalidade de ficar rico à qualquer preço e voltar para a terrinha….. é um vale tudo sem fim….

  55. Clovis Kochenborger says:

    Isto é país de primeiro mundo(c/PIB Per capita de U$$49.700,00), onde a educação é valorizada. Aqui no Brasil(PIB Per capita de U$$11.900,00), e com esta tendência comunista, muitas vezes até apoiada por professores, isto não vai acontecer tão cedo. Será preciso uma guinada muito grande para voltarmos a acertar a rota do crescimento, onde todas as profissões serão valorizadas. Ademais, o Brasil precisa urgentemente de um controle de natalidade responsável, onde o governo incentive ligação de trompas para as mulheres e vasectomia para os homens.

    • Ana Gláucia says:

      Ao contrário Sr. Clovis, foi exatamente a política de Bem-Estar Social (Welfare State) que levou os países nórdicos a gozarem de uma das melhores qualidades de vida do mundo, diiferenciando-se e se destacando socialmente até mesmo dos seus vizinhos europeus desenvolvidos. E sim, é o sistema Capitalista que vem encolhendo nossos salários, suprimindo nossos direitos e deteriorando as condições de trabalho.

  56. Dora Mourão Martinez says:

    O que mais me impressionou foi a palavra respeito. Sem o respeito devido, não há professor que consiga fazer um bom trabalho. Como ensinar a alunos que estão na escola por obrigação, que se sentem no direito de agredi-lo verbal e fisicamente? No Brasil o professor é mal visto, apanha da polícia e os governos o relegam a uma categoria inferior a muitas outras que não exigem saber, treinamento e capacidade intelectual.

  57. Cleomar Costa says:

    Infelizmente os melhores não estão entre os que fazem licenciatura. Por isso uma boa parte dos professores de ensino básico existentes no Brasil tem um perfil em comum: São professores por oportunidade. Não gostam da profissão e não querem isso, mas pela facilidade de se entrar numa licenciatura e portar um curso superior acabam entrando em um dos milhares de cursos presenciais ou online existentes. Não é a toa que boa parte desses professores acabam não exercendo sua profissão, ou exercem de forma mecânica e sofrível. Infelizmente não existe uma política pública de valorização da educação, por isso as coisas continuarão como estão por muito tempo.

  58. Renata Cardoso says:

    A profissão de professor esta de baixa qualidade.Para a melhoria da carreira não adianta aumentar o salário ,tem que formar os professores novamente,pois a maioria, com raras exceções tem formação ridícula. Tem professor falando e escrevendo errado.Isso é o fim.

  59. Olavo Carneiro Jr. says:

    Deixa de ser mentirosa. A polícia nunca praticou tiro ao alvo com professores. Lugar de professor é na escola dando aula e não saindo em passeata e fazendo barderna. Professor no Brasil é boi de piranha de sindicato esquerdista. Fez baderna, cacete neles, a polícia existe para isso mesmo, manter a ordem.

    • Mari Dantas says:

      A educação melhorou mto, eh só ver o que ela foi há quinhentos anos atrás, um atraso para o país…tornou o povo imbecil, sem voz, sem direito a dizer nada, e criticar..Agora estamos numa nova fase, onde podemos estar AQUI nesse face e falar e criticar, e cobrar melhoras, anters isso era impossível..Vamos dar um crédito ao PT, e ver o que ele fez no RESTO do país, nas regiões mais pobres onde escola nunca existiu…….e onde ônibus escolar nunca foi cogitado……Ainda falta mto eu sei, mas já avançamos…..

    • Mari Dantas says:

      Tivemos presidente como Fernando H. Cardoso que era universitário, e da Academia de Letras, ele fez o que pra melhorar o a educação NADa, ao contrário colocou o país no fundo do poço, legitimou a corrupção..Felizmente agora a sujeira está saindo do armário……

    • Mari Dantas says:

      Lula apesar de não escolarizado fez mto mais pelo país, pela educação e pelos pobres, e mais, RECEBEU significativas homenagens e reconhecimento de vários paises do MUNDOI, recebendo muitos títulos de DOUTOR Honoris CAUSa, isso não eh pra qualquer um não.

    • Mari Dantas says:

      A educação melhorou mto, eh só ver o que ela foi há quinhentos anos atrás, um atraso para o país…tornou o povo imbecil, sem voz, sem direito a dizer nada, e criticar..Agora estamos numa nova fase, onde podemos estar AQUI nesse face e falar e criticar, e cobrar melhoras, anters isso era impossível..Vamos dar um crédito ao PT, e ver o que ele fez no RESTO do país, nas regiões mais pobres onde escola nunca existiu…….e onde ônibus escolar nunca foi cogitado……Ainda falta mto eu sei, mas já avançamos…..

    • Mari Dantas says:

      Eh bom lembrar que quem esteve a frente do país durante mais de 500 anos, sempre foi a direita desse país, o PT só está a 12 anos tentando consertar o rombo, e a corrupção que os partidos de direita fizeram e ainda fazem em nosso país…Ainda bem, que agora está caindo a máscara, do DEM, PSDB, PPS, e outros de direita..esses só fizeram ROUBAr, e acabar com o país…Felizmente, nesse Congresso, a maioria de ladrões que o POVO o elegeu, ainda tem tem uma minoria de esquerda, que resistem as maracutais da corrupção….e dos ladrões…..

  60. Hedelcio Rodrigues says:

    Decisão de Estado faz toda a diferença. Em nível estadual a gestão tucana é ruim, e a aprovação automática é um desastre – adolescentes iniciam o ensino médio com sérias dificuldades em português ou matemática. A inércia do governo federal também é enorme; os petistas querem construir à partir do telhado e não na base; alardeiam programas (Fies) como se fossem salvadores da pátria, e utilizam de má fé, turbinando investimentos em ano eleitoral. Em 10 meses mudar 3 vezes o Ministro da Educação, não é sério – Brasil Pátria Educadora é um slogan pífio – é como um time de futebol na véspera do rebaixamento.

  61. Fernando Gomes says:

    O problema da educação Brasileira muito longe de ser um problema econômico é antes de mais nada uma questão de prioridade politica , A sexta nação mais rica do planeta tem dinheiro para pagar e bem os professores . Enquanto os professores fizerem uma educação apenas para formar mão de obra barata para o mercado , e não cidadãos capazes de intervir no mundo .Os professores tem de travar luta política ,e não mera luta econômica . Tem de ocupar os parlamentos com os proprios pares .

  62. Timoteo Camargo says:

    O Brasil está muito mal governado. Precisamos de mudanças urgentes. O governo do PT destruiu o pouco que havia sido feito na economia. Mas comparações devem ser feitas com países que tenham as mesmas condições econômicas e sociais do Brasil. A população total da Finlândia é de 5 milhões de habitantes, ou seja, a metade da população apenas da cidade de São Paulo. A capital Helsinque tem 579.000 habitantes menor do que qualquer cidade do interior paulista (Sorocaba tem 580.000 habitantes). Seu território é menor do que o Estado do Mato Grosso do Sul. Entretanto a renda per capita da Finlândia e de US$ 40,000 enquanto a renda per capita do Brasil é de US$ 15,000. Logo…

  63. Claudia Rose de Oliveira says:

    É sabido que o governo não quer uma educação de qualidade, muito menos este governo comunista que está aí acabando com nossos sonhos e nos enchendo de vergonha perante o mundo. Este governo cuja ideologia maquiavélica é tão fortemente defendida em salas de aula por tantos professores. Mas mesmo assim, se os professores brasileiros (grande parte porém não todos, pois graças a Deus há muito professores realmente iluminados no nosso país, é bom que se frise muito bem isso) tivessem o compromisso de educar, sentissem no seu coração a gana de formar pessoas melhores, a realidade cultural e3 moral brasileira seria muito melhor, mesmo com escolas sucateadas, mesmo com o ridículo currículo imposto pelo MEC. Mas não. Preocupam-se só com seus salários, com seus narizes, seus benefícios, com seu orgulho não sei do que nem pra que. Greves anuais intermináveis que comprometem anos de toda uma geração são uma falta de respeito absoluta com a parte mais fraca e impotente, seus pobres alunos. Não suporta dar aula? Acha que o salário não compensa? Procure outro emprego. Isso ocorre com qualquer profissão. Conheço até médicos formados que mudaram de carreira. Estudantes não podem ser reféns da sua ideologia particular, da sua inércia e das suas frustrações. Estas greves são imorais e revoltantes. Quando seu trabalho envolve a formação cultural e moral de crianças e jovens que não tem outra alternativa senão suportá-los, sinto muito mas você não tem o direito de fazer greve.

    • Josiane Gomes says:

      É inaceitável sua opinião somente quem está na rede conhece a verdadeira realidade e não é tão simples assim não está satisfeita arrume outra profissão. Gosto daquilo que faço só queríamos ser reconhecidas (os) trabalhar com dignidade , ser respeitada(o). É muito fácil criticar quando estamos do lado de fora. É preciso saber colocar no lugar do outro pelo menos de vez em quando para assim sentir na pele o que o nosso próximo sente.

    • Claudia Rose de Oliveira says:

      A greve de professores é covarde porque prejudica exclusivamente crianças e jovens em fase de formação. É atingida justamente a população mais carente, que não tem opção nem a quem recorrer. São usados como reféns em uma luta por benefícios pessoais. Os danos destas frequentes interrupções são irreparáveis.Usem este poder de mobilização, o qual eu confesso que invejo, para irem à Brasília em período não letivo exigir os benefícios e melhorias salarias que julgam ter direito. Ninguém se oporia e muitos se juntariam à causa. Não se constrói um mundo mais justo praticando a injustiça. Há coisas que são legais, mas são imorais. Eu gostaria realmente que os professores fossem a classe de elite deste país. Tive professores maravilhosos que nunca sairão do meu coração. Mas não se pode fazer as coisas desta maneira…

    • Pedro Albuquerque says:

      N tem nem por onde começar a argumentar. De qualquer forma, pelo menos o autor é semi-alfabetizado. Identifica – se várias palavras e mesmo algumas construções, apesar da ausência de coerência. A gente tem que considerar que ninguém sabe se o parto do individuo foi difícil, se nasceu com rubéola congênita, sífilis, síndrome alcoólica fetal, enfim, eu evito julgar na internet.

  64. Mari Dantas says:

    nos vivemos 500 anos com uma elite que nunca deu valor a educação, sempre viu a educação no pé do chinelo…até pq através da ignorância do povo a elite podiam pisar nela e roubar….Certamente, ainda estamos mto distante de ter uma mudança real nas nossas escolas, até pq o ensino privado dominou e as escolas públicas ficaram sucateadas..Mas, eu ainda tenho tenho esperança, se não fosse por esta educação, masi consciente, que ainda temos o povo seria na sua totalidade uma marionete..E estamos aqui nós, para ver e querer algo melhor para o país, resistindo e cobrando mais dignidade….

  65. Aérnio Dilkin Penteado says:

    Os governos que tem o objetivo de dominar um povo, primeiramente destroem o livre pensar das pessoas, não investem na educação, procuram deixar a classe docente em estado de miserabilidade para que eles não possam conviver de forma digna e gozar dos benefícios sociais e o acesso aos conforto merecido pelo seu status social como por exemplo moradia de primeira qualidade, boa alimentação enfim uma condição digna. Como um professor irá dar uma expectativa positiva de vida aos seus alunos, se a sua vida é um inferno, falta dinheiro, falta reconhecimento social, vivendo de forma precária, inclusive sem uma habitação digna, não possuindo meios financeiros de frequentar um teatro, se associar a um clube,aprimorar seus conhecimentos, ficando restrito a cartilhas políticas (livros e cutura rasteira de pregação ideológica).Afora os direitos execessivos dos alunos, que em cima desta liberdade, afrontam e desrespeitam os professores incentivados por governos que querem destruir as instituições com finalidades duvidosas ( levar a sociedade até o fundo do poço para posteriormente apreseentar o salvador da Pátria).Isto aconteceu na Revolução Cultural da China, onde Mao, mandou os jovens, destituirem todos os professores que possuiam conhecimento intelectual e técnico elevados.

    • Diógenes de Apolônia says:

      Qual Governo? (Federal, Estadual ou Municipal?). Quais instancias do governo? (Legislativo, Executivo, Judiciário, Órgãos?) . Qual setor da educação? (Básico, Médio/Técnico, Superior, Pós-Graduação). E você tem razão, quanto menos puder responder perguntas simples como essas, melhor é pros políticos e outros desonestos.

  66. Madalena Azevedo says:

    Muitos professores tem medo de comentar a respeito de qualquer sistema politico, inclusive os de algumas escolas federais porque devem achar que elas pertencem ao PT.Enquanto a mentalidade dos professores não mudar como mudarão a dos seus alunos? Como não comentar com nossos alunos uma situação indigna pela qual passamos neste momento?.Qual será a geração que verá pelo menos São Paulo parecida com a Finlândia?

  67. Pedro Albuquerque says:

    A única questão que vale a pena tirar daí é que é preciso multiplicar exponencialmente a valorização do professor por aqui, dizer que a Finlândia é assim é o Brasil não é, por motivo “x” é imbecil, a lista de fatores que diferenciam esses países é imensa. Quanto ao comunismo os finlandeses estão carecas de saber do que se trata, inclusive o país era parte da Rússia ainda, logo após a revolução, mas foi negociado um acordo com Lenin no mesmo ano, de independência, o modelo socialista não chegou de fato a ser aplicado. Intelectuais cruzaram a fronteira numerosas vezes e finlandeses discutiam por cartas e outros meios a maneira como foi aplicado o marxismo no país vizinho. É seguro dizer que, muito pelo contrário, a as crianças finlandesas devem saber do que se trata quando se fala em marxismo, visto que aconteceu logo ao lado e faz parte da história do país, impossível de ignorar. O sistema de governo finlandês é uma social-democracia, nem de longe socialista, pelo contrário, capitalista sim, mas uma vertente do MARXISMO. Os brasileiros aqui comentando não entendem nada de Finlândia, Rússia, Brasil, capitalismo, comunismo, marxismo, nada disso. Tirando o Brasil que é distante demais os estudantes finlandeses dão banho, provavelmente, em qualquer comentarista aqui em todos esses tópicos, porque a educação finlandesa não é censurada como desejam alguns aqui, que querem apagar Marx da história do mesmo jeito que Stalin apagava das fotos quem ele mandava matar, do partido. A Finlândia não é comunista. Mas lá todos sabem o que é comunismo, isso eu garanto. Inclusive estive lá e sei disso pq conversei com gente lá. O Brasil é capitalista, isso precisa entrar na cabeça das pessoas mal-informadas daqui. Digo mais, o PT é capitalista, e assim por diante, mas esse é outro assunto.

  68. Cintia Tereza says:

    Mas tenho certeza que o professor lá é um profissional qualificado. Aqui não são reconhecidos, mas também não são qualificados. Sem contar a insistência de certos professores de ficar fazendo doutrinação ideológica comunista na cabeça de nossos jovens. Professores que assediam aluninhas jovens, que incentivam o uso de drogas e alguns que sequer aparecem para o trabalho. É um ciclo vicioso.

  69. Odete Soares says:

    Primeira coisa, que o povo ignorante tem que aprender, é que SEGUNDO A LEI VIGENTE, A EDUCAÇÃO É OBRIGAÇÃO DOS ESTADOS EE MUNICÍPIOS. A PARTE DO GOVERNO FEDERAL, SÃO UNIVERSIDADES FEDERAIS E SUPORTE, MAS ESTE GOVERNO FOI MUITO ALÉM.. o povo só reclama, mas não sabe nem de quem reclamar, os Governadores ee Prefeitos agradecem! POR ISTO ALCKIMIN, BETO RICHA, MANDA BATER EM PROFESSOR, PQ O POVO VAI RECLAMAR COM QUEM?? com Presidente, fala sério! http://educador.brasilescola.com/gestao-educacional/a-organizacao-estrutura-dos-sistemas-ensino-no-brasil.htm

  70. Arnobio Timoteo says:

    Enquanto não forem valorizados os professores e transformarem o Brasil numa verdadeira “Pátria Educadora”, teremos este ciclo vicioso de produção de políticos incompetentes e sociedade produtora destes exemplos que temos em nosso meio. Que sociedade temos, para exemplificar e produzir seus governantes?

  71. Julio Emediato says:

    A diferença maior está no caráter de nossos governantes que NUNCA Deram importância pra educação no Brasil ao contrário da Finlândia que tem um dos melhores índices de IDH se não o melhor não por acaso !

  72. Edes Pacheco Goncalves says:

    CLAUDIA VAREJÃO WALLIM, TENHO LIDO TODAS SUAS POSTAGENS, VC FALA DE UM POVO RESPEITADOR, ESTADOS PEQUENOS MENORES QUE MUITOS DE NOSSOS ESTADOS, POIS O NOSSO MENOE É SERGIPE. QUAMDO A EUROPA JÁ ESTAVA QUASE CONSOLIDADA, JÁ TINHA MUITAS COISAS DE PRIMEIRO MUNDO, POI VIVIAM DE SAQUES ÁS OUTRAS NAÇÕES, MAS ISTO É PASSADO. QUANDO, PORTUGUESES , HOLANDESES. FRANCESES. VIKINGS, E OUTREÓS BARBAROS SE LANÇARAM AO MAR, PRA NÓS VEIO OS PORTUGUSES, COM SUAS NÁUS, COM MUITOS PRISIONEIROS QUE O REI DEPORTOU, E UMA GRANDE PORÇÃO DE ESCRAVOS CANIBAIS. E DESSA MISTURAS NASCEMOS NÓS, SAMOS IGUAIS AOS CÃES, SRD.

  73. Yonne Igrejas Martinelli says:

    Os professores, em sua maioria, no Brasil, não têm preparo a acadêmico
    Esse despreparo par exercer suas funções individuais e sociais
    Sequer o preparo para ser mãe
    Sequer moral para ter poder. .. essa o poder paterno, seja poder socio econômico
    E não adianta falar na colonização, no pouco tempo de colonização, etc
    Pq o Brasil em compensação é uma potência continental
    Rico!
    O mundo está globalizado. Por quê nao contratar equipes estrangeiras para sanear todo esses caos?
    Simples, pq a corrupção e a violência não têm interesse! !!!

    • Crislene Bueno De Carvalho Galdino says:

      Yvone, com essa sua mentalidade e nenhum conhecimento de causa é possível perceber porque o Brasil está desse jeito, as pessoas tem mania de culpar somente os professores, não sei como vc se diz advogada, se não sabe valorizar nem quem lhe ensinou uma profissão! O dia que as pessoas que costumam criticar a educação entrarem em uma sala de aula e ficarem pelo menos um mês, com certeza terão conhecimento para poderem julgar, caso contrário são só alienados movidos por uma mídia e governos que não tem nenhum interesse em melhorar o sistema educacional, visto que esse pode facilmente acabar com os seus poderes, então é mais fácil vender para os estrangeiros, são mais meios de se conseguir propinas e manter o conhecimento de acordo com o interesse deles! Entenda, o problema maior não é o professor e sim a base familiar quase que inexistente em nosso país, a começar pela falta de respeito com o professor, a falta de apoio familiar, a falta de limites dos alunos, tudo isso prejudica e muito a educação e nem vou comentar aqui a desvalorização perante as outras profissões que também possui nível superior, agora reflita, vc já formada e ainda tem esse pensamento medíocre, vc tem certeza que o problema ainda é somente do professor?

    • Yonne Igrejas Martinelli says:

      Nem precisei acabar de ler
      Entendi sua incompreensão
      Infelizmente me expressei mal. E sinto muito por isso..

      Fui, posto que não exerço mais, professora de teatro da faculdade cândido mendes
      Inclusive levando a público quatro peças com os universitários
      Há mais de dez anos, gratuitamente, aulas de reforço para as crianças da comunidade da tijuquinha
      Sinto muito a minha incapacidade no post…
      Mas, continuo achando que os professores em sua maioria, em quanto estudante, não têm acesso à devida formação. .. isto é fato
      Ser professor num país onde os alunos não respeitam ninguém
      Com um salário ínfimo. .. só com muita vocação. ..
      A filha do meu faxineiro é professora da classe de alfabetização, numa escola pública, de xerem…. ela fala errado! ! É uma vítima. ..
      A realidade desse país é cruel
      continuo achamdo q convites para q sábios de outros países deveriam ser convidados a trazer suas experiências

      P9r fim, não sem dificuldades, há quase 30 décadas sou advogada
      mas diante de tantos interesses paralelos nao advogo mais. Salvo qd o direito da pessoa é líquido e certo. E só recebo meus honorários ao final. Tamanha A lentidão e absurdos do judiciário

      Creia, eu não soube me expressar
      Yonne

    • Álv Aro says:

      Eu creio que se buscasse alguns profissionais de fora, sem essa questão ideológica, para montar uma base educacional forte, em pouco tempo a situação muda, dou exemplo os colégios que foram militarizados, a situação melhora muito, pois todos precisam de regras e limites. Claro que há outras formas para mudar mas deixo essa como exemplo.

  74. Jair Castilho Junior says:

    Psdb de sp valoriSA o professor, 20 anos no poder, não cumpre o básico: data base! E muita gente os querem em Brasília…..vide paraná…..TÁ AMARRADO! Funcionalismo em sp com o psdb: um.dos piores salários do país, basta conferir! Os servidores federais ganham em média: 200 por cento mais que sp!

  75. Jair Scarpelli says:

    No meu tempo de primário, a professora e a diretora quando entrava na sala de aula, a gente ficava em pé,, Cantávamos o Hino Nacional o respeito era grande.Tudo isso é culpa dos nossos governantes. O PSDB há 20 anos no governo acabou com a educação, desvalorizando o professor. Ao invés de dar boa educação escolar vai construir presídio para os menores, para educá-los.

  76. Clarice Plastina Dos Santos Strona says:

    PMDB no RS, o qual desvaloriza os professores, com desrespeito, mandando bater, gás de pimenta, não cumpre o piso e o empurra para 2020 o estudo para seu pagamento, parcela os salários sem obedecer ordens judiciais e pagamento de juros. Esse é o mesmo PMDB que está governando do lado da Dilma. Pra bom entendedor, isso basta!

  77. Jair Nery says:

    Concordo com todas as criticas dos professores a governos . Mas não posso aceitar que um Professor de Quarto Ano permita que um aluno escreva Tarrefa em um cartaz exposto nos corredores de uma escola, além de ser vergonhoso para o aluno , comprova que existem professores e professores, portanto a culpa não é só dos governos , é também de gente que não tem amor ao que faz. Todos trabalhamos e buscamos melhores salários, mas temos que dar o nosso melhor. Erros como esse comprometem a qualidade do ensino e a própria capacidade do professor.

    • Álv Aro says:

      Pura verdade, me recordo das aulas de história e sociologia quando a professora sempre puxava o barca para o lado socialista, sendo sempre parcial. Se alguém discorda eu respeito, só estou expondo o que vivi.

  78. Benedito Pinto Jr says:

    De nada adianta ficar reclamando do governo ou da polícia. O verdadeiro problema brasileiro está justamente na acomodação, falta de participação e ignorância do povo.
    Nosso sistema educacional, com respectivos resultados, está entre os piores do mundo, e ainda não tem uma política oficial ou planejamento de ensino, trocando quatro vezes de ministri em 10 meses.
    A Finlândia, cujo sistema educacional figura em quarto lugar no ranking mundial, está promovendo nova reforma para adequar-se às demandas da geração milênio, com currículos leves, flexíveis e holisticos. Os professores (100% pós-graduados) deverão “ensinar menos” e “promover o aprendizado” como ‘coaches’ ou mentores.
    A Austrália, acaba de retirar do corrículo básico as matéria de Geografia e História, incluindo Informática e Tecnologia.
    Enquanto isso, na “Pátria Educadora” ..,

  79. Benedito Pinto Jr says:

    De nada adianta ficar reclamando do governo ou da polícia. O verdadeiro problema brasileiro está justamente na acomodação, falta de participação e ignorância do povo.
    Nosso sistema educacional, com respectivos resultados, está entre os piores do mundo, e ainda não tem uma política oficial ou planejamento de ensino, trocando quatro vezes de ministri em 10 meses.
    A Finlândia, cujo sistema educacional figura em quarto lugar no ranking mundial, está promovendo nova reforma para adequar-se às demandas da geração milênio, com currículos leves, flexíveis e holisticos. Os professores (100% pós-graduados) deverão “ensinar menos” e “promover o aprendizado” como ‘coaches’ ou mentores.
    A Austrália, acaba de retirar do corrículo básico as matéria de Geografia e História, incluindo Informática e Tecnologia.
    Enquanto isso, na “Pátria Educadora” ..,

  80. Benedito Pinto Jr says:

    De nada adianta ficar reclamando do governo ou da polícia. O verdadeiro problema brasileiro está justamente na acomodação, falta de participação e ignorância do povo.
    Nosso sistema educacional, com respectivos resultados, está entre os piores do mundo, e ainda não tem uma política oficial ou planejamento de ensino, trocando quatro vezes de ministri em 10 meses.
    A Finlândia, cujo sistema educacional figura em quarto lugar no ranking mundial, está promovendo nova reforma para adequar-se às demandas da geração milênio, com currículos leves, flexíveis e holisticos. Os professores (100% pós-graduados) deverão “ensinar menos” e “promover o aprendizado” como ‘coaches’ ou mentores.
    A Austrália, acaba de retirar do corrículo básico as matéria de Geografia e História, incluindo Informática e Tecnologia.
    Enquanto isso, na “Pátria Educadora” ..,

  81. Benedito Pinto Jr says:

    De nada adianta ficar reclamando do governo ou da polícia. O verdadeiro problema brasileiro está justamente na acomodação, falta de participação e ignorância do povo.
    Nosso sistema educacional, com respectivos resultados, está entre os piores do mundo, e ainda não tem uma política oficial ou planejamento de ensino, trocando quatro vezes de ministri em 10 meses.
    A Finlândia, cujo sistema educacional figura em quarto lugar no ranking mundial, está promovendo nova reforma para adequar-se às demandas da geração milênio, com currículos leves, flexíveis e holisticos. Os professores (100% pós-graduados) deverão “ensinar menos” e “promover o aprendizado” como ‘coaches’ ou mentores.
    A Austrália, acaba de retirar do corrículo básico as matéria de Geografia e História, incluindo Informática e Tecnologia.
    Enquanto isso, na “Pátria Educadora” ..,

  82. Benedito Pinto Jr says:

    De nada adianta ficar reclamando do governo ou da polícia. O verdadeiro problema brasileiro está justamente na acomodação, falta de participação e ignorância do povo.
    Nosso sistema educacional, com respectivos resultados, está entre os piores do mundo, e ainda não tem uma política oficial ou planejamento de ensino, trocando quatro vezes de ministri em 10 meses.
    A Finlândia, cujo sistema educacional figura em quarto lugar no ranking mundial, está promovendo nova reforma para adequar-se às demandas da geração milênio, com currículos leves, flexíveis e holisticos. Os professores (100% pós-graduados) deverão “ensinar menos” e “promover o aprendizado” como ‘coaches’ ou mentores.
    A Austrália, acaba de retirar do corrículo básico as matéria de Geografia e História, incluindo Informática e Tecnologia.
    Enquanto isso, na “Pátria Educadora” ..,

  83. Waldyr Machado says:

    No Brasil professor é uma classe desprestigiada.por nossas autoridades . Classe essa responsavel pela formação de todas outras.Inclusive a que você considera PM pitbull.não vamos denegrir nenhuma classe poi acredito que saibas que existe ministrando aulas professores sem a mínima condição.e deveriam estar se preparando melhor para exercer tão importante cargo. Voltando o caso da PM existem os despreparados como em qualquer classe. Mas lembre-se também é uma classe mal paga você chama de pitbull.porque matam bandidos.todos que mídia.faz parecer coitadinho São todos bandidos que deveriam ter sido mortos a muito mais.tempo sem exceção. Você não deve ter experimentado um revólver na cabeça pelas mãos desses bandidos. Por favor não denigre a classe dos outros.pois. existem muitos professores não tem formação acadêmica.e se vê erros gritantes em caderno de crianças por falta de prepar

  84. Edna Liberato says:

    Gente pra que ou pra quem é o voto? ?
    Se não for única e exclusivamente pra esses que querem mais é que tudo fique do jeito que está.
    Não voto mais em ninguém.
    Toda eleição vou justificar, vou viajar, vou trabalhar mas não vou sair da minha casa pra eleger bandido disfarçado de candidato.
    ACABOU E TENHO DITO.

  85. Álv Aro says:

    Qualquer intervenção policial é reflexo da ausência ou omissão governamental, já que ele, o governo, descumpre diversas demandas legais, ocasionalmente a situação degradante na qual vivemos. Acredito que o povo é que muda o país, os políticos querem sombra e água fresca, a polícia tem o dever de agir diante da ruptura da ordem pública, mesmo sendo legítima, já que mesmo sendo legítima, afeta o direito de outrem. Temos que mudar um povo pois assim o país e todas as suas instituições irão mudar.

  86. José Domingos Silva says:

    Parem de reclamar! Aqui temos muitas igrejas, muitos pastores, “levitas”kkkk, adoradores, redes de casais, de meninos, de jovens, igreja plenitude, universal, canção nova, bola de neve, deus é amor, assembleia de deus, mundial do poder de deus, mundial da graça de deus, adventista, testemunhas de jeová, pebisteriana (sic) batista, wesleyana, Brasil para cristo, mormons, casal Ernanez, é muuuuita cultura… a biblia diz: “a minha graça te basta”…pra que professores???? Temos escola dominical e sabatina…tudo de bom (rsss).

  87. Iva Carmen Macagnan says:

    Concordo contigo Jair com a primeira parte com referencia ao respeito com o professor da parte do aluno, mas nossa educação começava em casa, na escola iamos aprender ler escrever e respeitar atodos e principalmente o professor. Hoje filhos são mandados para o colegio para serem educados. “Errado”.por isso agridem professores.”então educação nos temos que dar aos filhos em casa o colegio e continuação. Concordo com a falta dos governantes com os professores. O nosso futuro presidente passa primeiro pelo colegio. Merecem ganhar mais ou ao menos o mesmo salario de um deputado.

  88. Sidney Aguiar says:

    Não sou professor e muito menos policial, sou apenas mais um brasileiro insatisfeito com a condução do nosso destino pelos governantes, mas não aceito a afirmativa de que a polícia prática tiro ao alvo em professores. Afirmações dessa natureza não contribuem para nossa democracia.

  89. Erissama Lima says:

    Tem um documentário massa no youtube q mostra como é o sistema de ensino lá. Coisa de outro mundo. As crianças e adolescentes ficam mais motivados a estudar e tem mais horas pra atividades extracurriculares, pq ñ recebem um monte de lição pra casa todo dia… entre outras coisas o ensino lá é top

  90. Marcio W C Bezerra says:

    Sempre defendo a melhoria da educação no mundo.
    Mas com relação ao comentário sobre a polícia sou contrário ao seu ponto de vista.
    Sou totalmente contrário à manifestações que promovem depredação dos patrimônios públicos e privados e se a polícia faz um perímetro de segurança, ele pode ser questionado, mas nunca invadido. Caso invadido com violência, a polícia tem q agir, sim.
    Infelizmente, no Brasil em geral , a classe dos professores são manipulados por sindicatos que estão pouco se lichando pra eles; e para mim foi o que aconteceu.

  91. Nelson Abreu says:

    RECUSO-ME A LER UM TEXTO QUE PRINCIPIA ASSIM: «Neste exótico país onde a polícia não pratica tiro ao alvo com professores, a sistemática política de valorização do magistério produz resultados capazes de espantar até um pitbull da PM: a carreira de professor na Finlândia tornou-se uma das principais preferências entre os jovens, à frente de profissões como medicina, direito e arquitetura (…)». ORA! VÃO FAZER PROSELITISMO pOLÍTICO-iDEOLÓGICO E PARTIDÁRIO – DO MAIS RASTEIRO – BEM LONGE DE MIM!

    • Milla Bastos says:

      Concordo plenamente. Como é fácil distorcer as coisas, não é mesmo? Deveria começar o texto dizendo sobre a blasfêmia da Pátria Educadora que foi prometida nas eleições e resultou na retirada financeira da área educacional.