Líder sueco: crise no Brasil é oportunidade ideal para pacto nacional e reforma política

[show_fb_likes]
Claudia Wallin
“O conflito político no Brasil é extremamente alarmante. Por outro lado, ele representa uma oportunidade ideal para convocar os partidos políticos e a sociedade a realizar uma ampla e positiva agenda de reformas no país”, avalia o social-democrata Björn von Sydow, ex-presidente do Parlamento sueco e atual vice-presidente da Comissão de Constituição parlamentar da Suécia.
O momento exige um pacto suprapartidário a fim de alcançar um consenso de união nacional, ele sugere, nos moldes do acordo costurado durante a crise econômica dos anos 90 na Suécia:
“Porque a situação é de tal maneira caótica, que os partidos políticos brasileiros devem perceber que nenhum deles é forte o suficiente para encerrar a crise sem o apoio de todos os demais. E nenhum dos atores políticos tem o poder de controlar sozinho os efeitos que poderão ser deflagrados por este tamanho caos político.”
“E é o momento para mobilizar também diferentes setores da sociedade civil em torno de um plano de reformas constitucionais, econômicas e políticas, incluindo a reforma dos partidos políticos”, diz o deputado, que já ocupou ainda o cargo de ministro de Defesa da Suécia.
Von Sydow esteve no olho do furacão da crise brasileira, à frente de uma delegação parlamentar da Comissão de Constituição sueca que visitou Brasília no momento em que o PMDB desembarcava do governo.
Sua avaliação é de que o atual processo de impeachment em curso contra a presidente Dilma Roussef é um conflito essencialmente político, que exige portanto soluções políticas:
“Um impeachment significa depor uma presidente eleita democraticamente. E o que aconteceria depois? Quem assumiria a presidência, quando vários dos próprios atores políticos envolvidos no processo de impeachment são investigados por corrupção? A situação pode sair ainda mais fora de controle”, observa o deputado sueco, para quem o ex-presidente Lula poderia desempenhar um papel agregador para a unificação do país, “como fez Nelson Mandela na África do Sul”.
Björn von Sidow também espeta indiretamente o presidente da Câmara, Eduardo Cunha:
“Não se pode sentar naquela cadeira e liderar a instituição, ignorando as acusações feitas dias após dia, mês após mês”.
A seguir, a íntegra da entrevista concedida no espartano gabinete de 24 metros quadrados do deputado no Parlamento sueco, onde sua única regalia é um aparelho de TV dos anos 80.
Quais são suas impressões sobre sua visita ao Brasil, em meio a uma das mais graves crises políticas já enfrentadas no país?
BJÖRN VON SIDOW: O conflito político no Brasil é extremamente alarmante. Por outro lado, ele representa uma oportunidade ideal para convocar os partidos políticos e a sociedade a realizar uma ampla e positiva agenda de reformas no país. Porque a situação é de tal maneira caótica, que os partidos políticos devem perceber que nenhum deles é forte o suficiente para encerrar a crise sem o apoio dos demais. É necessário um amplo pacto político para alcançar um consenso de união nacional. E é o momento para mobilizar também diferentes setores da sociedade civil em torno de um plano de reformas constitucionais, econômicas e políticas, incluindo a reforma dos partidos políticos. Além, é claro, de tratar do problema da corrupção, que parece ser um problema cultural no Brasil. Mas é preciso também notar os aspectos extremamente positivos do Brasil. Notei, por exemplo, que o país tem uma extraordinária liberdade de expressão. O Brasil não é a China. O Brasil não é a Rússia. Também notei que os protestos e manifestações ocorrem sem episódios de violência, o que é um sinal bastante positivo. Outro aspecto positivo é que o Exército descarta intervir na política, conforme nos foi inclusive dito durante nossa visita a uma base militar em Manaus. A polícia federal e os promotores também têm independência para investigar. Portanto, o Brasil já fez avanços importantes no caminho para realizar as reformas de que necessita.
Como alcançar um consenso político para uma ampla agenda de reformas, diante de um sistema partidário fragmentado e altamente polarizado?
BJÖRN VON SIDOW: A Suécia atravessou uma situação semelhante de ruptura, de certa forma, durante a crise econômica dos anos 90. Naquela época, o país enfrentava uma combinação de inflação crescente, altas taxas de juros e baixa produtividade. Percebeu-se então que era imperativo reformar elementos importantes não apenas da política econômica, mas da própria política e do sistema democrático. O governo criou então uma comissão especial para estabelecer os princípios de uma reforma abrangente, a chamada Comissão Lindbeck [presidida por Assar Lindbeck, professor emérito de economia da Universidade de Estocolmo]. Esta comissão reuniu um painel de especialistas da área acadêmica, incluindo economistas e cientistas políticos, que definiram uma agenda de 113 reformas a serem implementadas. E a agenda foi cumprida. É interessante notar que a Suécia também tinha um governo de minoria naquela época. E como se sabe, governos minoritários necessitam negociar todo o tempo.
Também é preciso haver disposição dos partidos de oposição para buscar tal consenso para a governabilidade, como ocorre na realidade sueca. 
BJÖRN VON SIDOW: Alcançar um consenso nunca é uma tarefa fácil. Mas os atores políticos brasileiros precisam compreender o que está em jogo no Brasil. O país tem forças verdadeiramente democráticas e respeitáveis, mas o que está em jogo é uma crise política que mergulha o país indefinidamente na ingovernabilidade. O maior problema, a meu ver, é que os partidos políticos brasileiros são demasiadamente superficiais. Há troca-troca de legendas, há partidos demais, há legendas sem representação, há partidos e políticos sem qualquer ideologia. Uma democracia necessita de um sistema partidário baseado em princípios ideológicos, formado por políticos com interesse genuíno em ideologias políticas. É preciso, assim, criar um novo e verdadeiro sistema político-partidário no Brasil, que facilitaria, dessa forma, a busca de um consenso duradouro e vital para governar o país.
Qual seria a fórmula ideal para a concertação de um pacto de união nacional?
BJÖRN VON SIDOW: Em minha opinião, há dois amplos processos a serem cumpridos: o primeiro deles é um amplo programa de reformas, a partir de uma agenda de mudanças definida por uma comissão de especialistas. Penso que a presidente Dilma Roussef deveria convidar para a mesa de debates não apenas os diferentes partidos políticos, mas também setores da sociedade civil, ONGs e especialistas como cientistas políticos, sociólogos e também antropólogos. O segundo passo seria um processo fundamental de valorização da ética, com a criação de um novo compasso ético para mudar os valores culturais e reduzir a corrupção no país, através de campanhas de educação e reeducação moral. Além de uma reforma política real, já que a corrupção germina no atual sistema político.
Como o senhor vê uma eventual participação do ex-presidente Lula no governo?
BJÖRN VON SIDOW: Não quero tecer julgamentos sobre as divergências em torno da indicação do ex-presidente Lula para o governo. Mas penso que, especialmente antes de ser convidado para integrar o ministério, o ex-presidente teria o potencial de atuar como um agente agregador a fim de unificar e pacificar o país. Assim como fez Nelson Mandela, ao unificar a África do Sul. Espero que, se Lula conseguir ultrapassar o caos atual, ele possa atuar nesse sentido, junto aos demais líderes políticos e também junto aos setores menos favorecidos da população, em nome dos quais ele foi eleito por duas vezes. O momento exige um debate sobre valores, tanto por parte da esquerda como da direita. E exige união entre os pólos divergentes.
Como o senhor vê o o atual processo de impeachment em curso?
BJÖRN VON SIDOW: Não posso evidentemente emitir um julgamento embasado sobre essa questão. Mas me parece que o processo de impeachment em curso é um processo mais político do que jurídico. Há um conflito entre duas legalidades: de um lado, a presidente, eleita com uma plataforma de viés mais esquerdista, e de outro as duas casas do Legislativo, mais alinhadas politicamente à direita. E há fortes divergências sobre a legalidade constitucional dos argumentos para promover um impeachment. Parece tratar-se portanto de um conflito essencialmente político, de uma luta política dos partidos de direita para afastar a presidente. A batalha ideológica é parte fundamental da atual crise. Por isto, é preciso buscar soluções políticas, através de um amplo consenso em torno de um pacto nacional. O que seria provavelmente mais fácil, na atual situação, do que tentar buscar soluções jurídicas. Um impeachment significa depor uma presidente eleita democraticamente. E o que aconteceria depois? Quem assumiria a presidência, quando vários dos próprios atores políticos envolvidos no processo de impeachment são investigados por corrupção? A situação pode sair ainda mais fora de controle.

O social-democrata Björn von Sydow
O social-democrata Björn von Sydow
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Qual foi a reação da delegação sueca no Brasil ao saber que o presidente do Congresso, Eduardo Cunha, se mantém no cargo e conduz o processo de impeachment da presidente Dilma, apesar de ser réu na Operação Lava Jato?
BJÖRN VON SIDOW: Isso é muito estranho para nós, é claro, mas cabe aos brasileiros julgar seus próprios políticos. O importante é observar que isto é sinal de que o problema do Brasil é basicamente estrutural. A origem do problema está no próprio sistema político atual do país. Conversei com deputados e senadores brasileiros, que me disseram que pelo menos cem parlamentares são profundamente corruptos. Cabe às cortes julgar, mas é preciso lançar um olhar mais profundo sobre a questão da necessidade de reformar o sistema político.
O senhor presidiu o Parlamento sueco entre 2002 e 2006. Caso tivesse sido acusado de alguma prática corrupta, quanto tempo poderia ter permanecido no cargo?
BJÖRN VON SIDOW: O presidente do Parlamento sueco é eleito por um período de quatro anos, e não pode ser deposto através da votação de um impeachment. Mas diante de qualquer suspeita de crime ou falta de decoro, as exigências morais e as críticas dirigidas contra o presidente, incluindo por parte de seu próprio partido, seriam de tal dimensão que ele se sentiria obrigado a renunciar ao cargo de imediato.
Mesmo antes da comprovação de eventuais denúncias contra ele?
BJÖRN VON SIDOW: Sim. Porque seria impossível para um político presidir o Parlamento sem ter plena autoridade moral para tal. Não se pode sentar naquela cadeira e liderar a instituição, ignorando as acusações feitas dias após dia, mês após mês.
Mais da metade dos integrantes da comissão especial do impeachment na Câmara é acusada de corrupção. Como vê este fato?
BJÖRN VON SIDOW: É uma situação extremamente negativa, e indica que o Brasil ainda não é uma democracia plenamente consolidada em relação ao seu sistema político. O país tem excelentes alicerces democráticos, mas ainda tem alguns maus alicerces. Um deles é exatamente o fato de que a Constituição tem pouca legitimidade no país, uma vez que ela é violada por políticos acusados de corrupção.
Na Operação Lava Jato, o juiz Sergio Moro foi aplaudido por parte da população mas também criticado por integrantes da Suprema Corte por divulgar grampos de conversações telefônicas entre a presidente Dilma e o ex-presidente Lula. Gravar e divulgar conversas envolvendo lideranças políticas seria permitido na Suécia, que é famosa por sua ampla lei de transparência?
BJÖRN VON SIDOW: Em primeiro lugar, a interceptação telefônica de qualquer autoridade ou qualquer cidadão suspeito de crime na Suécia deve ser previamente autorizada por uma banca formada três juízes de primeira instância. A sessão secreta para aprovar a solicitação de grampeamento feita por um promotor também conta com a presença de um ombudsman público, que atua em sigilo para proteger os interesses da pessoa a quem se pretende grampear.  A decisão é dos juízes. Mas se o ombudsman entender que não há fundamento suficiente nas alegações do promotor para solicitar o grampo, ele pode levar o caso para as instâncias superiores, até a Suprema Corte.
Quando aprovado o grampeamento, é permitido divulgar publicamente os áudios das gravações? 
BJÖRN VON SIDOW: Os princípios que garantem a transparência são extremamente fortes na Suécia. Mas de novo, a decisão de divulgar as gravações precisa ser autorizada por uma bancada integrada por três juízes, em um processo que é acompanhado por um ombudsman público. Cabe à corte julgar o equilíbrio entre a procedência de divulgar conversas grampeadas, e a proteção à integridade pessoal do indivíduo grampeado. Esta regra vale tanto para as autoridades públicas, como para qualquer cidadão que tenha suas conversas interceptadas por decisão judicial.
A discussão sobre a politização do Judiciário tem sido um tema frequente na crise atual. Qual é a sua visão?
BJÖRN VON SIDOW: O perigo da partidarização do judiciário é que os juízes passam a ser vistos como entes semi-políticos. E a sociedade passa a perder a confiança nas cortes de justiça, o que é extremamente prejudical para a democracia. Juízes devem se ater à proteção do Estado de direito e dos direitos humanos.
Seu partido passou oito anos na oposição antes de voltar ao poder, em 2014. Qual é o papel da oposição em uma democracia?
BJÖRN VON SIDOW: Em primeiro lugar, o papel da oposição é manter a conscientização da população sobre o que os representantes do poder público estão fazendo em seu nome, e formular políticas alternativas. Em segundo lugar, e eu diria que de forma ainda mais importante, a oposição política de um país precisa ser responsável. Em outras palavras, a oposição deve fazer oposição, deve criticar o governo, mas também deve negociar com o governo e participar ativamente da adoção de políticas necessárias ao bem-estar da sociedade, colocando os interesses do país acima de seus interesses partidários.
Qual será o desfecho da crise política no Brasil, em sua opinião?
BJÖRN VON SIDOW: Espero que possa ser alcançado um amplo pacto nacional. Porque no momento atual, ninguém tem o poder de controlar a situação-limite que se impôs no país. E nenhum dos atores da crise tem o poder de controlar sozinho os efeitos que poderão ser deflagrados por este tamanho caos político. Caso não haja consenso político, provavelmente haverá novas eleições. Mas as pesquisas de opinião não parecem indicar um quadro significativamente diferente do atual.
Artigo produzido para o DCM
10 de Abril de 2016
Conheça o livro “Um País Sem Excelências e Mordomias”

2.615 thoughts on “Líder sueco: crise no Brasil é oportunidade ideal para pacto nacional e reforma política

  1. Janinha Maciel says:

    Creio que ele esteja certo…nossos partidos políticos são superficiais e qual nome poderia agregar que não fosse o Sr. Lula ? Tá ruim, pode piorar, vcs tem razão, mas caso nossos representantes fizessem o dever de casa para solidificar e unir o país e consertar a nossa esculhambada economia…o que falta aos nossos representantes é interesse, apenas isso…

  2. Lucyan Souza says:

    ““E é o momento para mobilizar também diferentes setores da sociedade civil em torno de um plano de reformas constitucionais, econômicas e políticas, incluindo a reforma dos partidos políticos””
    Essa fala do von Sydow é fundamental. O problema é q o povo tá revoltado, se ilude com qquer coisa, é analfabeto total (de cidadania, direitos e outros) e no fim, dá em nada. Soma-se com o pensamento futebolístico que o brasileiro tem sobre política e o q temos? Isso aí.
    De um lado, governo q não entende nada de economia (Lula falando q primeiro vamos acabar com a crise do golpe em vez da economia foi o certificado de ignorância). Do outro, uma oposição que desde q houve a reeleição se fala sobre impeachment. Um dando pano p/ manga para o outro….

  3. Oseias Rocha says:

    Talvez se tivéssemos um mínimo de educação e cultura fosse o momento ideal para corrigirmos um erro histórico e caminhar para o futuro, bastava aclamar à monarquia e atualizar à constituição de 1824. Emanuel D BugarinArlindo Amaro Vieira Filho William Monarquista Monarca Brasileiro Monarquia Constitucional, Emilios Constantinopolis,

    • Oseias Rocha says:

      Interessante o brasileiro, senão vejamos somos uma nação rica, temos de tudo mas preferimos invejar os outros do que seguir bons exemplos, Suécia, Inglaterra, Canadá, Australia e outros são monarquias não gastam com políticos e política metade do que gastamos e vem uma pessoa criticar sem nem ao menos pesquisar se há ou não condições para isso! Somos o único país da América que tem uma família real, porque não utilizá-la?

    • Isaac Tamai says:

      Bom dia Marcelo sabe eu acredito que aqui no Brasil nos não temos liderança política para conduzir o país em um rumo certo , o povo brasileiro despertou agora para a crise política porque começou a mexer no bolso de todos o PT foi um projeto de governo tão ruim e corrupto que já começou a mexer profundamente na vida econômica na saúde na segurança e na educação atingindo o povo brasileiro em cheio mas negativamente ,o povo brasileiro precisa se unir em um projeto de governo e de país afinal de contas eu me pergunto que país voces brasileiros vão deixar para os seus filhos e netos ,um país corrupto com os piores políticos e com o pior governo do mundo e infestado de organizações criminosas e gente oportunista e malandra ou um pais serio honesto e competente ,o povo brasileiro e o Brasil esta passando por um processo de transformação longo e penoso para todos nos mas um dia o Brasil vai chegar a ser um bom país para todos os brasileiros do bem

    • Marcelo Pelosi de Almeida says:

      Concordo plenamente com você, esse o o meu maior desejo um país digno é decente para minha filha e netos, para todos os brasileiros do bem, tenho esperança que isso aconteça, embora nós meus 66 anos já tenha visto muito acordos e projetos mas o que não mudou muito foi a mentalidade do povo brasileiro, espero que esse momento que estamos vivendo venha a despertar uma nova consciência, tenham um bom domingo.

  4. Ana Balestiere de Souza says:

    Oi! A sugestão é bacana. Convocar a sociedade p participar é vital. A pressão social imprescindível. Lula provavelmente será a última liderança de peso em tempos de web, tem cacife e cintura de negociação, deve ser convocado. N queremos fazer do Brasil uma Suécia, mas podemos estudar a sugestão é aplica-la em nossa realidade.

  5. Paulo Nery Rosa says:

    Concordo com quase tudo que falou menos com a comparação de Lula com Nelson Mandela.Este um Líder o outro um bandido, desagregador, incitador da violência, obcecado pelo poder, não se preocupa pelo futuro do país mas com o seu, sua família e toda a corja que o apoia.

  6. Kenji Sakamoto says:

    Lula não tem crédito, anda subvertendo as leis, tentando escapar da justiça, e isso apenas mostra que caráter é algo que lhe falta. Como deixar Lula à frente de um pacto, de uma coalisão, se o mesmo se comporta como um mafioso?

  7. Natália Oliveira says:

    Não vai haver pacto pela reforma política pq a mídia, em geral, fez uma campanha tão intensa de demonização do Lula e do seu partido, que temos agora um exército de pessoas completamente alienadas exigindo a saída da Dilma como se fosse a resolução do problema. E vão deixar pra lá toda essa “militância a la camisa da CBF” assim que a Dilma sair. Do outro lado temos o partido dos trabalhadores e seus militantes e simpatizantes tentando defender o mandato de Dilma Rousseff e afastar do poder figuras conservadoras históricas no Brasil. Tb não creio que prosseguirão em busca da reforma política, pq a militância de esquerda não fez isso em nenhum momento dos últimos anos, não nestas proporções que vimos nas manifestações.

    • Natália Oliveira says:

      Acho difícil apontar um partido, ou uma pessoa como responsável por uma crise política e ainda mais difícil por uma crise econômica. Acredito que a corrupção é sistêmica e o presidencialismo de coalizão um modelo definitivamente falido, pois faz das alianças partidárias pela governabilidade uma máquina de corrupção. Precisamos de uma reforma política profunda. Mas os governos Lula tem grandes méritos assim como o de FHC tb.

  8. Jaque Duarte says:

    Só peço a Deus que ele nos abençoe com uma reforma política e tributária, que a população entenda que somente a perda de privilégios vai corrigir esse problema tão grave desse país, nosso sistema cria corruptos, entrar na política é melhor só que um prêmio de loteria, isso tem de acabar, o problema não é A nem B, é de A a Z.

  9. Kenji Sakamoto says:

    “O Partido procura o poder por amor ao poder. Não estamos interessados no bem-estar alheio; só estamos interessados no poder. Nem na riqueza, nem no luxo, nem em longa vida de prazeres: apenas no poder, poder puro. O que significa “poder puro” compreenderá, daqui a pouco. Somos diferentes de todas as oligarquias do passado, porque sabemos o que estamos fazendo. Todas as outras, até mesmo as que se assemelhavam conosco, eram covardes e hipócritas. Os nazistas alemães e os comunistas russos muito se aproximaram de nós nos métodos, mas nunca tiveram a coragem de reconhecer os próprios motivos. Fingiam, talvez até acreditassem, ter tomado o poder sem querer, e por tempo limitado, e que bastava dobrar a esquina para entrar num paraíso onde os seres humanos seriam iguais e livres. Nós não somos assim. Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura para salvaguardar uma revolução; faz-se a revolução para estabelecer a ditadura. O objetivo da perseguição é a perseguição. O objetivo da tortura é a tortura. O objetivo do poder é o poder. Agora começou a me compreender?”
    http://dagobah.com.br/2016/04/10/so-o-duplipensar-explica/

  10. Gisleno Scopel says:

    O Brasileiro precisa parar de dar valor para esses povos… Suecia, Suiça e outros mais. Essa gente vive no bem bom às custas do dinheiro roubado, desviado de Paises carentes como o nosso e eu não posso achar nada de positivo na conversa desse imbecil!

    • Gennaro Costanzi says:

      O Brasil querido amigo precisa dessa gente para seguir em frente porque vcs nao entendem qué esses som quem da o dinhero e as oportunidades por culpa do vossos político corrupto qué comeron todo o dinhero de vcs, acorda querido qué o Brasil é uma potencia máis mal admistrado dos politicos com essas pessoas o Brasil pode voltar a ser uma potencia Mais com Dilma e Lula somente vai para o fundó do poco como Venezuela e otros países….. Sim qué a ignorancia predomina Mais nao seja táo ignorante porque esses homen cheio de dinhero sao o que podem levantar o seu país…..

    • Gisleno Scopel says:

      Oseias, nunca fui proletário eu e minha familia sempre tivemos Industria. O que tento dizer é de algo mais valioso… falo do ser humano, de milhares de Brasileiros, individuos estes que seriam úteis a sociedade e que tem sua vida ceifada nas filas de hospitais e daqueles que laboram para o meu e tb seu bem estar (se Vc me chamou de proletário é obvio que não és um deles). A conta é simples: Se eu convido para minha casa um bandido… eu sou o que? Se um monte de dinheiro foi parar em Bancos da Suiça depositado por pessoa física e aceito por eles sem a mínima coação… Dio Santo, isto é fruto do que??? Aqui se o individuo for pego com fruto de produto de roubo… Vc irá responder como receptador, ou seja, ele é ladrão tanto quanto. Abração

  11. Eliana Cavalcante de Farias says:

    Concordo em gênero número é grau.
    Mas será que a direita que só quer levar vantagem em tudo e garantir seus privilégios, sentaria pra dialogar?
    Acho que não.Ela não está preocupada com a corrupcao, com a reforma tributária, com a reforma política , com manutenção de direitos sociais.
    O que está em jogo é o Ego, a vaidade , o individualismo, a preservação dos privilégios que sempre teve e não consegue dividir com os pobres, os negros, os gays, as mulheres etc.
    A direita não se conforma de ter perdido as eleições e tem medo de perder as próximas.
    E está usando de todos os meios, os mais ignobeis.

    • David Roberto Loreti Micheloni says:

      Com esse discurso, repetido à exaustão pelos petralhas, fica difícil qualquer tipo de pacto. Faltou falar que agora pobre viaja de avião. Fica difícil entender que depois do estelionato eleitoral, a cara de pau de adotar medidas que o adversário é que ia adotar, o enriquecimento suspeito de próceres do PT, sítios, triplex, e a culpa sempre é da direita. Se a direita não se conforma por ter perdido as eleições o problema é dela. O povo não quer saber de direita ou esquerda, quer saber de não ser enganado por incompetentes e corruptos. O povo está pouco se lixando para partidos políticos ou ideologias, o negócio é condições dignas de vida e que parem as roubalheiras, compra de apoio para não perder a boquinha, nomeação de ministro com fins escusos, etc.

  12. Mada Almeida says:

    Aqui no RS a coisa está bem. Só os petralhas vão votar contra (8). E tem só 2 indecisos. A grande maioria vota a favor do Impeachment (21). Mas tem outros estados onde a coisa está feia. E o seu Estado, como está?

  13. Robson Pacheco Coccaro says:

    Quem está comandando a fabricação do caos não tem a menor intenção de fazer reforma política. É a estratégia da terra arrasada. Já vivemos um estado de excessão, vamos ladeira abaixo, com a voracidade de quem quer sequear, destruir, inviabilizar o Brasil como país. Sem esperanças.

  14. Gennaro Costanzi says:

    O Brasil precisa dessa gente para seguir em frente porque vcs nao entendem qué esses som quem da o dinhero e as oportunidades por culpa do vossos político corrupto qué comeron todo o dinhero de vcs, acorda querido qué o Brasil é uma potencia máis mal admistrado dos politicos com essas pessoas o Brasil pode voltar a ser uma potencia Mais com Dilma e Lula somente vai para o fundó do poco como Venezuela e otros países….. Sim qué a ignorancia predomina Mais nao sejam táo ignorante porque esses homen cheio de dinhero sao o que podem levantar o vosso país…..

  15. Janio Alves says:

    este filme é reprise de 1889, passando por Getúlio,JK,Janio Quadros,Jango, Collor e agora,com Dilma Mariola……..os caras não querem consertar nada nessa teta cheia de nódulos malignos……

  16. Evandro Gomes Silva says:

    Mas não vai acontecer. Se realmente quisessem, nem esperariam chegar a situação em que se encontra o Brasil para aperfeiçoar nosso sistema político.
    Para eles, quanto pior, melhor. Tanto que fizeram o desfavor de acabar com a doação de empresas, mas permitir a doação de pessoas físicas. Dessa forma, as empresas podem utilizar várias pessoas para doar a quantia que desejam e, dependendo de como for feito, será muito difícil saber quem são elas, e se serão beneficiadas pelo candidato eleito (com licitações viciadas) durante sua gestão (ou legislatura, sendo que doações a membros do Legislativo ou a seus partidos são incentivos para que, onde tal empresa estiver atuando, não sejam investigadas pela Casa, além de garantir votos a favor em projetos de lei que as beneficiem e contra aos que as prejudiquem).

  17. Cristiano Taborda says:

    Isso faz parte da campanha lavagem cerebral primeiro vai PCdoB para tv dizer que o impeachment sem crime e´golpe dai molha a mão do data folha vem com uma pesquisa comprada dai sai Dilma e Temer querem fazer de Lula um candidato para presidencia escapar dos processos de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro .Menos de 1 mes foram mais de 6 milhões pedindo prisão de Lula ?

  18. Rafael De Oliveira Silva Casaldáliga says:

    Lendo muita gente dizendo: “traz ele pra cá… importa os políticos da Suécia etc”, ou seja, esse sebastianismo que temos desde o nosso ” descobrimento”. Ele nem viria e nem o sistema dele viria. Temos que nos reinventa e isso depende de nós. A mania de tercerizamos nossa responsabilidade e nossa história em vez de pega ela é fazermos nós mesmo. Já pensou os dois movimentos contrários hoje no Brasil pedindo isso que ele falou? Comissões de reformas com cientistas políticos, filosofos, economistas e ONG falando na necessidade de reformas Gerais que surtem efeitos ao longo do tempo? Não quero trazer ele, quero que nós possamos agir.

  19. Gilda Santos Pinto Pinto says:

    No Brasil a baixaria se alastrou de tal modo que nada mais é imoral ou indecente, mentir, caluniar, cobrar hora extra sem estar fazendo nada de útil para o país, dá golpe como maneira de ocultar a incompetência para resolver problemas básicos do país , tudo está contaminado pela infame competência generalizada.

  20. Leda Salm de Mello says:

    O PT e o PMDB formaram uma aliança e agora o casamento se rompeu deixando a mulher desamparada . Que consideração essa aliança teve para com esse povo que os elegeu . Esse rompimento poderia ter causando , em outros tempos , uma crise institucional seríssima . Muita imaturidade desse partido , muita irresponsabilidade , muita infantilidade . Esse povo que não consegue dimensionar a extensão dessa atitude . Isso só demonstra que política rasteira que esse partido pratica .

  21. Lilian Lie says:

    Parabéns pela entrevista, Claudia Wallin! Uma visão clara e objetiva da atual realidade brasileira. Por não estar morando aqui no Brasil, Von Sydow conseguiu transmitir as suas observações com total isenção e livre das manipulações midiáticas que a população brasileira está recebendo diariamente. Só ficando de fora, sem escolher os lados para não fazer parte da massa de manobra. Que venha o pacto nacional para encerrar essa crise que estamos vivendo há mais de um ano, e que tenha como modelo o sistema político, partidário e social sueco, que eu considero o melhor sistema do mundo por ter como base a austeridade e a transparência.

    • Saulo Félix Rocha says:

      É a segunda entrevista de pessoas de fora do país, que aponta para a fragmentação dos partidos políticos e sua crise de representatividade. Também no mesmo sentido fala da impossibilidade de um partido resolver esta crise e aponta o pacto abrangente como saída.

  22. Saulo Félix Rocha says:

    – Banco Central Independente.
    – criminalizar a falta de investimento em educação.
    – Tributação de grandes fortunas e consumo de luxo.
    – Criar um força jurídica-policial de combate a corrupção, em todas esferas públicas, a partir da municipal.

  23. Francisco Camilo says:

    O país não foi formado de uma civilização, e o povo brasileiro é uma sociedade inacabada, no Brasil o estado chegou primeiro que a sociedade, é um esdado cheio de vícios, portanto é preciso destruí-lo e refazê-lo novamente!!!

  24. Angel Márquez says:

    Sem PT, PC do B, …apenas 3 tendências; Esquerda – Centro e Direita…sem toda nessa colcha de retalho de “”ideais””…Não existe tanto ideal quanto partidos. Tudo isso não passa de oportunismo e semvergonhice…

  25. Virginia Giannini says:

    Não consegui chegar até o final. Esses senhores vem de países que tratam política com preparo e seriedade. Não tem como comparar os nossos políticos que não possuem ideologia. Seus interesses vai muito além dos interesses por uma política de respeito e compromisso com a pátria. Faz muita falta o investimento na educação, para tanto é necessária, pois e do meio que serão selecionados políticos competentes, que entram para política com o intuito elaborar leis para elevar o país. Mas não, a grande maioria vê a oportunidade de roubar e abrir empresas em paraísos fiscais para facilitar a estradicao de verbas públicas.

  26. Odair Jose Luciano says:

    Uma boa sugestão antes que ocorra o confronto nas ruas com consequências imprevisíveis. Hoje temos canalhas se posando de idôneos julgadores. Um juiz fascista vaidoso de olho nos holofotes da Globo. Uma esquerda que apodreceu e insiste em manter no poder. Precisamos urgente de um grupo de políticos probos que tomem as rédeas das mãos destes cafajestes.

  27. Maria Cecilia CcpCarneiro says:

    Acho que estamos tendo uma grande oportunidade sim. Não sei se saberemos aproveitá-la. Mas eu gostaria de perguntar a esse líder sueco duas coisinhas:
    1. Se o Lula tem a fórmula da agregação, por que razão ele não ensina essa fórmula pra Dilma, sua discípula sempre tão obediente?
    2. Se o Lula é um agregador, por que razão insiste ele em dividir um país que sempre soube lidar bem com divergências?
    Esse líder sueco não sabe de nada, viu?

    • Paulo Barbosa Carvalho says:

      Não acredito que seja o lula a dividirão pais . Pra mim e a extrema direita que está a jogar o sudeste e sul contra o resto . lula tem o discurso pra lá de elites e povo porque aprendeu assim e viu que deu votos . Divisão de classes não foi invenção dele , ele usa isso . Entretanto , realmente o capitalismo dinástico e antimeritocrata e anti ascensão social de quem quer que não seja de seus grupos .

  28. Giovanni Moscato Junior says:

    A primeira vez que eu ouvi falar em pacto nacional foi durante o governo Sarney! Do término do governo para cá já se vão 26 anos e, obviamente, ninguém pactuou coisa alguma. Nosso povo geralmente não está interessado em nada (só em jogar o saco de lixo na porta da casa do vizinho), nossas elites odeiam o país e o povo e os políticos, mancomunados com as elites, só querem saber de roubar até o último centavo.
    O erro do líder sueco é um erro de premissa: ele parte do princípio que o Brasil é um país decente – e erra.

  29. Paulo Barbosa Carvalho says:

    Não vai haver isso se o impeachment se concretizar . Os partidos grandes já estão viciados demais e vai ter e ou se perpetuar o racha na nação porque ninguém da esquerda ou progressistas comungara com Temer . Ademais , os direitos trabalhistas serão solapados levando os trabalhadores a infinitas greves . Feito isso restará 2018 e Lua poderá voltar triunfante .

    • Paulo Barbosa Carvalho says:

      Acontecerá o óbvio . Caso não haja impeachment envergonhada a oposição se retrairá e tratará de se cuidar porque seus governadores estão a fazer péssimos governos por todos os lados do pais salvo raras exceções e se quiserem ganhar em 2018 terão que melhorar sr Raimundo Fontenele. Ao contrário de coxinhas , ou de outros fãs da direita dinástica brasileira eu não vou acusa los de estar com os neuronios arrebentados ou queimados embora muitos aí já estejam . Não tenho eu o direito democrático de ser contra esse golpe parlamentar ? Tal qual vcs tem o direito de se lo ?

  30. Daniel BC says:

    Eu acho interessante a opinião de europeus e norte-americanos sobre o Brasil…eles falam como se já tivéssemos atingido um estágio de mínima civilidade…não ENTENDEM o que é um país sem educação!

  31. Graça Toscano says:

    Verdade….pra ontem….ta puxado…muita intolerancia…arrogancia… muitos parlamentares sendo coagidos em aeroportos….nas suas residencias..pelos fascistas, claro…a imprensa esta divulgando…isso e deprimente ! ninguem e Maria vau com as outras!!!!!!!

  32. Silvio Marn says:

    Ele pensa como sueco-europeu – Aqui não dá inocente… TODA a nova república e seus nojentos 3 poderes está bichada. Perdoá-los seria a atitude mais estúpida que a população brasileira poderia tomar.

  33. Carlos Vinicius says:

    O certo seria a OAB fazer a reforma política ja que o Congresso não quer ou não tem interesse em mudar o sistema eleitoral! A reforma política deve ser uma exigência da sociedade tão forte como o impeachment ou pedido de eleições Gerais!

  34. Adhemar Altieri says:

    O governo nao tem credibilidade para tentar algo assim. Mesmo que digam que querem fazer, o historico mostra que nunca realmente acreditaram na democracia, exceto para chegar ao poder e quando e conveniente. Perderia-se mais tempo tentando. A conciliaçao tera que acontecer, mas sem o atual governo ou o PT em posiçao majoritaria ou decisiva, pois o apoio a esse pensamento hoje nao passa de 10% dos eleitores. Esse tem que ser o tamanho da participaçao deles nessas definiçoes.

  35. Carlos Alberto Torres says:

    Exatamente! Precisamos ir além do impeachment! Agora que ficou desnudada, pela Lava-Jato, o papel da corrupção no Brasil para a conquista do poder político, tornam-se indispensáveis as reformas institucionais que permitam, simultaneamente, acabar com a impunidade dos crimes de colarinho branco, doa a quem doer, e reformas no sistema político-eleitoral que permitam eleger cidadãos comprometidos com o bem comum!

  36. Valesca Rocha Alvares says:

    O primeiro passo é expulsar Dilma Vana do poder, prender o larapio Lula e o resto dos comparsas que ainda estão soltos.extinguir o pt da vida politica desse país, fazer com que devolvam os TRILHÕES roubados , etc…..aí a conversa pode ter início !

  37. Cleonice De Oliveira says:

    SERIA FANTÁSTICO UNIR TODOS PARTIDOS POLÍTICOS EM FAVOR DO BRASIL. REALMENTE TERIA DE HAVER MUITA CIVILIDADE EM NOSSA NAÇÃO. COMO FARIAM ISSO, TENDO QUE DESNUDAR DE AMBIÇÔES, FALCATRUAS E PRINCIPALMENTE DAS MORDOMIAS VERGONHOSAS? MAS, MILAGRES ACONTECEM, OUTROS PAÍSES CONSEGUIRAM.

  38. Jose Roberto De Almeida Almeida says:

    Sem dúvidas, a oportunidade é de ouro, não podemos deixar de pressionar nossos congressistas para que sejam feitas as reformas que o país precisa….Não podemos relaxar agora..Não podemos deixar que alguns grupos deturpem tentando politizar essas questões ou tentam judicializar essa questão…o Brasil precisa de nossa atenção total agora…

    • Telma Antunes says:

      Pois é, Mariana Antunes. Penso que uma das boas saídas para o Brasil seria mesmo uma reforma política. Considero que somos um país de grandes potencialidades, mas temo que seja mesmo sonho neste momento de quase golpe. Tempos negros, minha filha….

  39. Ana Luiza J Loureiro says:

    A ESQUERDA REPRESENTADA POR CUT UNE MST MSTS E OUTROS GRUPOS POLITICAMENTE ARCAICOS NAO VAI PERMITIR…sao uns ignorantes, oportunistas e radicais que nao entendem de ECONOMIA e usam os comceitos falidos do marxismo do sec 19 para o sec 21…

  40. Luiz Parussolo says:

    O Procurador de Justiça Romulo de Andrade Moreira em uma entrevista comentando sobre técnica e entendimento de processos e normas jurídicas questionado pelo entrevistador sobre o que a sociedade pensa sobre o entendimento das aplicações das leis disse ostensivamente que o povo é merda. Então, em uma matéria de site jurídico onde está sendo contestado fiz meu comentário sempre antagônico aos metidos a besta e repico abaixo.
    Liberdade só existe quando é expressada de dentro para fora de si mesmo.
    Se alguém tira dele mesmo com independência sua sobrevivência e grande parte de sua produção/criação ser negociada e investida em seu empreendimento para o crescimento patrimonial e familiar.
    Se não tira nada de si além de conceitos e linguagem você é um pobre parasita que empobrece um país inteiro.
    Sou de geração rural do final do país anarquista pleno onde cada família tinha responsabilidade de manter a ordem e a disciplina longe de saber direito, sociologia, política, engenharia, agronomia, biologia, genética, psicologia etc..
    Só que duvido com tudo que alguém estudou na vida faça o que aqueles seres naturais e reais faziam.
    Esse monte de cuzões que estão como professores de universidades, na política, no judiciário, no ministério público, nas instituições, nos empreendimentos, na burocracia e tecnocracia, nas produções agrícola, industrial e pecuária onde os grandes fornecedores, prestadores de assistência técnica, analistas de produções, transportadores e comerciantes internos e externos nem de perto deixam você e também não pode ter afinidade. Você é um macaco. Rhesus, mas é macaco.
    Depois você toma um voo comercial ou um jatinho particular e vai festar em Paris ou comprar em Miami, New York etc.. e não consegue olhar em si que teu sapato,. teu terno, tua obturação, teu micro, tuas teorias e teus conceitos pragmáticos, filosóficos, dogmáticos, econômicos, sociais, etiquetas, comportamentos de bunda mole, tecnologia em geral, conhecimento, comida e bebida. Tudo em tua existência concreta você é dependente. Ou o passado não era brasileiro, ou você não o é.
    Mostrei hoje em minha aniquilada cidade a um jovem: Está vendo os prédios comerciais em frente ao teu próprio, eles foram construídos nas décadas de 1950 e 1960 onde o tijolo era queimado, cimento não existia e engenheiros e arquitetos muito menos. A solidez e a engenharia são impecáveis e estão aí em pleno uso..
    Também nesse período esse povo com um traçador, três cunhas, uma marreta e um machado botavam no chão enormes árvores de dois a três metros de diâmetros que se você cursar física moderna e tentar morre esmagado. Isto se não morrer de infarto pelo esforço físico.
    Aquele pessoal das comunidades ainda não contaminados por nordestinos do agreste e do Vale do Jequitinhonha jamais viram escola nem de grupo e conseguiam que um parente precário lhes ensinava a escrever, no máximo.
    Só que cubicavam madeiras, quadravam etc..escrevendo com o dedo na areia, pesavam com a intuição animais em pé e safras antes de seu início, sem perdas. Estimavam chuvas e sol com semanas e meses de antecedência.
    Você irá dizer, atraso e selvageria.
    Digo a você, você que é o atraso e e selvageria estéril que impediu o conhecimento e o ser evoluírem para manter tua inferioridade teórica impostora enrolada no paletó e na gravata e nas roupas de linho transformando todo mundo em macacos como a si próprio.
    Não existe estado sem direito, porém para construir esse estado por ele deve-se convocar a essência concreta e viabilizar legalmente, juridicamente o mundo da sabedoria real e concreta.
    A merda povo construída é construção das merdas política, jurídica, sociológica, psicológica, empreendedora, especulativa, predadora, nociva, monopolizadora e escravocrata e matadora do conhecimento.
    Essas são as verdadeiras merdas do país.
    E ao Procurador de Justiça Rômulo de Andrade Moreira.provo que não passa de uma merda defecada a céu aberto metido a besta num território ocupado por símios que devem ser renascido a priori.

  41. Jefferson Elpidio says:

    Não há mínima possibilidade de se fazer uma reforma política com uma grande maioria de políticos com sua ficha imunda, sendo que primeiro seria necessário remove-los e cassar o mandato de todos sem exceção é aí sim fazer um excelente projeto para viabilização de tal reforma.

  42. R Egivando Campos says:

    A reforma política acabando com reeleição em todos os cargos seria o ideal para o país, contudo duvido muito que isso aconteça com os políticos que temos hoje. Portanto cabe a nós acabar com a reeleição no voto. Não votem mais no mesmo candidato.

  43. Diógenes de Apolônia says:

    Não nenhuma reforma política séria, pode emergir quando a mídia, que é a grande formatadora de opinião é composta por oligopólios de bandidos. Uma mídia tão poderosa, que se sobrepões sobre a justiça e todos os órgãos. Não é a toa que a família mais rica do Brasil seja da mídia.

  44. Renato Barbosa says:

    Antes, do pacto, temos um dever de casa para fazer: limpar o Brasil das quadrilhas políticas aboletadas no poder e por fim ao escravagista VOTO OBRIGATÓRIO, que há 125 anos torna o País um gigantesco “curral eleitoral”, graças aos eleitores oportunistas (recebem dinheiro e pequenos favores para votar) e aos milhões que são ludibriados, eleição após eleição, por terem capacidade de distinguir, de ter visão minimamente crítica, especialmente quanto aos aspectos ético-morais que envolvem a política, partidos/quadrilhas e candidatos!

  45. Marcos Porto says:

    É. …. não deixa de ser uma possibilidade.Inegavelmente vive-se um bom momento para o nosso fazer CATARSE.Começar a mudar a convivência política. Todavia como levar a sério uma comissão que irá tratar de tirar uma mandatária que pode ter lá suas incompetências mas está longe de ser mau caráter, formada por figuras notoriamente pouco recomendáveis como Paulo Maluf e o crápula Eduardo CUnha.Aí Realmente não se pode mudar nada.E continuaremos na triste sina de sermos um país onde mudar é para não mudar nada.Um gigante geografico (isso se não houver reações separatistas ) mas um Anão Político. Uma mera expressão geográfica. Dá vontade de chorar.Desconfio que muitos querem até sem se dar conta disso até por ignorância mesmo, A Paz dos Cemitérios. Um país medíocre.Uma pena. É o dobre de finados.

  46. Maria Lucia Balbinot says:

    AS. FFAA, JUNTAMENTE COM CIVIS DEVEM ATRAVES DE UMA JUNTA GOVERNAMENTAL PROVISORIA EXECUTAR. AS MEDIDAS NECESSARIAS PARA RECONPOR AS INSTITUIÇOESCORRONPIDAS BEM. COMO REFORMA POLITICA , E MUDANÇAS CONSTITUCIONAS NECESSARIAS, E DEPOIS CONVOCAR NOVAS ELEIÇOES. DESTA FORMA TEREMOS GARAN TTIAS E SEGURANÇA PARA SEGUIR EM FRENTE. INTERVENÇAO,JA.

    • Janinha Maciel says:

      Vai ver porque é a realidade da Claúdia Wallin que vive e trabalha lá…impossível não comparar com o Brasil em um grito alucinado para mostrar aos Brazucas que pode ter jeito, sim, necessário se faz a concientização política tantos dos eleitores qto dos eleitos.

  47. Lucinha Reis says:

    Acredito que a reforma da qual ele mencionou, é que considerando a saída da Dilma pelo impeachment e com a prisão de Lula, e outras prisões etc, etc, teremos novas eleições, e aí sim, teremos uma mudança geral e poderemos com a ajuda de Moro e daqueles que têm lutado por um país melhor e mais justo, poderemos fazer uma reforma política e nos organizar. Poderemos acabar com o PT, com os guerrilheiros, com os corruptos e tudo que envergonha o povo brasileiro. Parece sonho?? Mas é disto que o Brasil precisa. O Brasil precisa de Ordem e Progresso.

  48. Eduardo Guardiola Velloso says:

    Marcelo Oliveira, como já falei, a reforma política deveria ser dicutida com a sociedade a partir de alguns tópicos a saber: 1 – fim das mordomias; 2- proibição de ocupar o mesmo cargo mais de uma vez por toda a vida; 3 – financiamento público e igualitário das campanhas eleitorais; 4 – Profissionalização do Serviço Público admitindo CCs apenas no primeiro escalão (só os Ministros no executivo e, ninguém nos demais poderes. Todos os demais admitidos exclusivamente por concurso público); 5 – Exigência de requisitos mínimos aos candidatos, como idade, grau de instrução e até quem sabe, prova de habilitação como concurso público, inclusive com psicotécnico e ficha corrida limpa; 6 – Exigência de um limitado número de partidos políticos diferenciados exclusivamente pelo seu conteúdo ideológico que deve ser explícito e público e finalmente, 7 – a inexistência de foro privilegiado e a restrição da imunidade parlamentar aos crimes de palavra praticados dentro do parlamento. Já ia esquecendo, 8 – Fim do voto obrigatório. Voto limitado aos que desejarem, se cadastrarem e forem capazes…

  49. Eduardo Rodrigues says:

    Mas com essa classe política atual é o país polarizado não vejo a curto e médio prazo para fechar uma agenda em favor da resolução destes problemas, o que vejo é a luta pelo poder simplesmente poder !!!!

  50. Marco Rocha says:

    Lembrando que dos 513 de putados, menos de 50 foram eleitos diretamente, os demais entraram pela legenda ou coligação. O Senado também não é representativo dos eleitores, já que o Estado do Amapá elege o mesmo número de senadores que São Paulo ou Rio de Janeiro. Os caras entraram pela janela, vão reformar o que e pra que?

    • Sonia Marques says:

      O Senado representa as unidades da federação e todos os estados têm o mesmo número de representantes. Já a Câmara representa a população, então estados mais populosos têm mais deputados. Mesmo assim, há número mínimo e máximo de representantes, o que infla o número de deputados dos estados menos povoados e limita o número de deputados dos estados de maior densidade demográfica. Mas foi a maneira definida na Constituição para evitar que os interesses dos estados maiores não dessem espaço aos dos menores. O grande problema é o quociente eleitoral, que permite que candidatos com grande número de votos levem consigo para a Câmara colegas pouco votados. Outro problema sério é o dos suplentes de senadores que geralmente são ilustres desconhecidos mas assumem a vaga quando os titulares se ausentam, não só por morte ou doença mas para assumir ministérios ou outros cargos, como é muito comum.

    • Marco Rocha says:

      Não há necessidade de representantes de Estados. O Senado brasileiro é a instância representativa das oligarquias regionais. Sou a favor da extinção do Senado e das capitanias hereditárias por ele representadas

  51. Cristina Bassôa De Moraes says:

    Canalha FDP! Social democrata? Voces não entendem o que significa isso?? SOCIAL DEMOCRATA é COMUNISTA!! Esses canalhas acabaram com a Suécia, que vai virar 3º mundo em pouco mais de 20 anos, que tem o mais alto grau de muçulmanização da europa, que prende os cidadãos que se manifestam contra, que tem o maior numero de estupros, que tem o maior número de suicídio. Nem pensar.

  52. Janice Nunes says:

    Ele tinha que vir ao Brasil e viver como cidadão comum uns meses e só então sua opinião teria relevância. Viver ganhando 1000 reais, pagando tributos altíssimos e ainda sobreviver. Depois disso pode dar sua opinião a vontade.

  53. Eres Crispim says:

    A oportunidade é excelente para que haja uma mudança profunda no sistema político brasileiro, mas que essa mudança tenha o respaldo da sociedade, seria sonhar demais! mas gostaria de ver implantado um sistema semelhante ao da Suécia onde a sociedade realmente é respeitada e representada.

  54. Natália Oliveira says:

    Sonhamos com isso, mas estamos reféns de um legislativo completamente corrompido…enquanto muitos pensam que o problema do Brasil é a Dilma o PL anti corrupção que ela mandou tá lá acumulando poeira na Câmara

  55. David Macedo says:

    Eu tenho comentado com amigos, tenho varios que divergem de mim, mas me respeitam, que nos temos um inimigo comum: O congresso nacional. Deveriamos unir nossas forcas para promover-mos uma profunda reforma politica.

  56. Audair Suassuna says:

    Os políticos brasileiros infelizmente não são idealistas como de outros países, só pensam neles próprios, mas o povo acordou e não vamos mais aceitar mais as sobras. Ou vamos pra reforma ou os que brincam de legislador caem fora.

  57. Gustavo Lermen says:

    Dionil Machado Pereira, a no mínimo 10 anos criticamos as políticas do PT. Um Estado assistencialista nunca deu certo. As benesses a funcionários públicos, como se fossem exemplos de eficiência , o desestímulo à competição, o nivelamento por baixo, etc, etc. A muito tentamos dialogar e mostrar esta forma equivocada de gerir, mas o PT sempre nos desprezou.
    Precisou deixar o país quebrar, o povo se revoltar ( e vai ficar bem pior antes de melhorar) e a Justiça nos calcanhares de seus líderes para virem querer dialogar.
    Obrigado, agora não queremos. À Direita vai tomar as rédeas sozinha e mostrar novamente como se faz (ps: o FHC fez somente uma parte da lição).
    Vai levar 10 anos para concertar o estrago feito por esta má gestão.

  58. Maria Nina says:

    Para concertar o Brasil,a primeira coisa qui tem qui ser feita é combater a corrupção ,qriando uma lei para caçar o mandato para sempre de político qui rouba dinheiro público

    • Maura Melo says:

      Maria Nina este é o caminho que estamos implantando, Tem pacote destas medidas engavetado na Camara Federal, encaminhado pela Presidenta Dilma. Consumado o golpe mais distante ainda.

  59. João Wanka says:

    Por que INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL CIVIL / MILITAR é necessária?
    Antes de se pensar em Parlamentarismo, temos que fazer emergencialmente a Reforma Política / Eleitoral e do Poder Judiciário:
    Reforma prioritária para governabilidade de Municípios, Estados e País.
    Política / Eleitoral – Algumas Sugestões 1 – Introdução de URNAS eletrônicas com IMPRESSORA que permitam recontagem de votos.
    2 – FUSÃO dos 35 ou + partidos para somente 3 partidos: SITUAÇÃO, OPOSIÇÃO e o INDEPENDENTE destinado aos servidores públicos, profissionais liberais entre eles os médicos, engenheiros, advogados , religiosos, militares, empresários / comerciantes.
    3 – Eleição de 5 em 5 anos com permissão de uma reeleição alternada para o Legislativo. O salário do politico seria o mesmo atribuído aos professores, observando-se sua graduação escolar.
    4 – Fim do voto de Legenda que pode eleger corruptos / analfabetos / incompetentes.
    5 – Fim dos Suplentes de Senadores.
    6 – Introdução do VOTO DISTRITAL.
    7 – Candidatura avulsa
    8 – Financiamento Público e Pessoa Física para Campanha.
    REFORMA do Poder Judiciário – Algumas sugestões:
    1 – Admissão através concurso público, cumulado com aprovação ou reprovação em votação de juízes ,Promotores e desembargadores, proibindo-se total interferência / influência de correntes políticas / religiosas.
    2 – Extinguir o FORO PRIVILEGIADO;
    3 – Modificar Código de Menores, restaurando a autoridade dos pais e professores no que trata os castigos e recompensas;
    4 – Extinguir o FLAGRANTE de 24 horas para prisão;
    5 – Extinguir a PRESCRIÇÃO da Pena.
    Ouçamos Marcos Bomfim – Policial dos EUA, Brasileiro Naturalizado.
    https://www.facebook.com/ChiefMarcosBomfim/videos/661566863945929/

  60. Arao Xavier de Freitas says:

    mto bom e necessário msm, o problema é; esses q ai estáo ai que faria a reforma? quem q vai tirar essa cambada de corruptos q se instalaram na politica a decadas? quem se mete com a “justiça”? e a poderosa mídia? q 8 familias dominam tudo, só msm os militares integros com prazo pra fazer as reformas e sairem, mas quem garante que farão e depois saiam rsrs mto dificil, bastava só a justiça stj ser sério sem partidarismo q é oq acontece hj querer q tbm botava moral.

  61. Carlos Rempto says:

    Pois é, Claudia, no Brasil de hoje esse pacto equivaleria a formação de quadrilha, v haja vista os atores envolvidos. Estamos escolhendo dentre os menos ruins.
    Nossa sociedade necessita aprender a estar alerta e vigilante sempre para evitar que esses tipos de bandidos sequestrem o futuro de país.
    Como aqui se dá ‘um jeitinho’ em tudo, estamos fazendo um ‘gatilho’ agora… e vamos tocando o barco

  62. Ana Maria Neves says:

    A crise do Brasil é porque o povo brasileiro está cansado de pagar impostos e o dinheiro ser desviado para as contas de políticos corruptos. E com isso os nossos bens e serviços são de péssima qualidade.

  63. Marcelo J Silva says:

    esse politico esta correto pois o mesmo defende a social democracia no seu pais onde os cidadaos honestos sao valorizados e os politicos de la nao tem privilegios e realmente trabalha para o povo…..mas se ele conhecer a realidade brasileira de fato vai ver como e dificil a politica brasileira…

  64. Marcelo J Silva says:

    aqui os partidos sao mafiosos…o processo de impechemand nada mais e do que a retirada de um partido corrupto que esta no poder e colocar uma alianca de outros partidos tambem corruptos….os tres poderes sao cheios de privilegios e se preocupam mais com os empresarios ….as medidas populares quando acontecem sao superficiais

  65. Ana Lima says:

    Tem que continuar a Dilma e pedir a reforma já 4 partidos políticos ,ela termina seu mandato e nos vamos as urnas democraticamente , escolher nossos governantes. Más não podemos em hipótese alguma vender o nosso voto .

  66. Maria Gracas Nogueira says:

    Disse tudo! Diz o que a maioria da população brasileira tem a falar.
    Suas respostas são as nossas.
    Presidenta Dilma Rousseff sendo condenada sem julgamento. Deputados, senadores e vice presidente respondendo processos criminais mas sem as devidas condenações. Como pode isso? Por favor, leiam essa entrevista desse exemplo de homem sincero e correto nas respostas dessa entrevista. Eu concordo com ele.

  67. Renato Barbosa says:

    Perfeito, Cláudia! Duro é enfiar isto na cabeça de milhões de eleitores que sequer sabem como é Brasília, os quais, ainda por cima, são OBRIGADOS A VOTAR, por força do escravagista voto obrigatório, mantendo o Brasil refém dos políticos por 127 anos, desde a proclamação da República!

    • Renato Barbosa says:

      O voto “em branco” é considerado no caso das candidaturas para cargos não majoritários (presidente, governador, senador e prefeito), uma excrescência que não se verifica nas boas democracias do mundo, enquanto que o voto NULO, não se presta para nada e que deveria ser utilizado pelos que não têm candidato moralmente defensáveis, como eu faço, desde 2004, quando deixei de ser “bobo da corte” e parei de votar no “menos ruim”. Como enfiar isto na cabeça da “massa”?

  68. Tarcísio Almeida says:

    Com certeza que é. Mas a oposição, a elite, a direita só quer destruir Dilma, Lula, e PT. Não querem acabar com a corrupção, não querem uma economia que dê primazia a pessoa humana, não querem reforma fiscal, da previdência, e política. Eles não abrem mão de seus privilégios. A saída é o povo se mobilizar, ir para as ruas cobrar e precionar o congresso Nacional. O Brasil que queremos, é o povo que deve decidir, isso também é democracia.

  69. Paulo Zaremba says:

    Reforma política já negada por várias vezes no Congresso! Não é conveniente para eles, querem continuar nas mordomias como estão ! Acredito que o melhor caminho é disolver o parlamento !

  70. Joao Junior says:

    Li aqui que a Dilma havia proposto reforma política…. Eu pergunto? Cadê? Ao menos se ela o tivesse feito com a mesma desenvoltura com que está fazendo para defender seu trono…. De certo já estaria aprovado

  71. Silvio Marn says:

    Agenda com corruptos? Ele tem alzheimer? Ou é ignorante? Lembram da lista que a PF divulgou com mais de 200 politicos congressistas
    pilantras? E vem esse analista fajuto de quinta categoria dar opinião. “Ela” – a fantoche – e “ele” – o malandro popstar da esquerda, estão à beira do precipício. Os senadores e deputados investigados deveriam ser presos imediatamente. Lewandowski e seus asseclas stf ‘s prevaricaram, não possuem mérito para ocupar o cargo, são notórios militantes do lula, fhc e cia. ilimitada. E a receita federal alzheimer nada faz quanto ao súbito e milagroso enriquecimento ilicito dos filhos “dela”, “dele”, e o restante da corja do laranjal. Mansões, latifúndios, centenas de empresas de fachada, aviões, cartão corporativo… Lei? – Uma piada.

  72. Andreyk Maia Sobrinho says:

    Os nossos políticos não caíram de marte, mas provável que tenham emergido do inferno. Não adianta reclamar da classe política, quem passa a outorga a eles somos nós, os eleitores. Tirar a Dilma e entregar esse país nas mãos de Eduardo Cunha, do Temer e de toda corja do PMDB? O que é pior: tudo isso em nome da moralização e do fim da corrupção? Com essa mentalidade, temos que levantar nossas mãos para o céu e agradecer a Deus, porque ainda estamos muito bem. Nos atentemos ao grande e maior inimigo do povo brasileiro, nossa grande imprensa.

  73. Edneia Eugenio says:

    Repudio qualquer manifestação que venha do exterior. Embora estejamos num mar de lama, o problema é nosso e não podemos admitir qualquer manifestação vinda de outros países sob pena de abrir mão da nossa soberania. Não aos pitacos, eles que cuidem dos seus problemas, os nossos seguirão nossas leis e encarados pelo filhos que não fogem a luta.

  74. Adilson Aram Aranha says:

    Ótimo! Isto seria possível se o Brasil fosse a Suécia. Mas, definitivamente, o Brasil é um país com imensas desigualdades, multi-étnico e cultural, além de ter uma classe dominante que não abre mão dos seus privilégios.

  75. Jose Roberto De Almeida Almeida says:

    acredito que o povo brasileiro saberá utilizar esse momento extremamente complicado da vida pública da nação, para exigir de nossas instituições as reformas que o país precisa para poder barrar a corrupção o fisiologismo e os excessos de regalia de servidores públicos que hoje chegam ser uma afronta dado a difícil realidade e atual estado de desenvolvimento da nação,

    • Eduardo Dos Santos says:

      Golpe, não é o que vc quer ou não, GOLPE é tudo o que NÃO consta na CONSTITUIÇÃO, se existe na CONSTITUIÇÃO NÃO HÁ GOLPE , … vc queira ou não ! ..LEIA a Constituição de seu País, para não falar BESTEIRA !

    • José Edson Gomes da Silva says:

      GOLPE, foi o que essa palhaca fez para ganhar a eleição, estamos no começo de uma nova fase no Brasil, sairemos das garras dela e do Lula, os PTRALHAS estão preocupados porque essa mamata está acabando, e agora essa turma só pensa em Golpe, não tem outra coisa para falar kkkkkk coitados, gente vamos pensar no futuro do Brasil, seja lá quem for tenho certeza que não vai fazer pior do que está, não importa o partido ou partidários, e sim tirar o Brasil dessa crise maldita criada por eles, o país está quebrado, o comércio quase falido, casas e mais casas para alugar e vender, inflação desenfreada, um caos total, pelo amor de Deus, dizer que é GOLPE , a era PT acabou, graças a Deus estamos saindo das garras desses terroristas e comunistas perigosos, e se for pra continuar com eles e acabar de vez com esses corruptos, então prefiro que as Forças Armadas volte ao poder, quero ver se num acaba com essa turma.

  76. Ivoline Pereira says:

    Com esses que estão ai? Em todas estâncias estar tudo contaminado duvido a falácia discursiva contínua a mesma pedindo voto pela segurança,educação,saúde,pela seca no Nordeste e por ai vai é a indústria do voto esses malditos querem alguma reforma querem manter o povo subjugado

  77. Darlita Varejão says:

    Está na hora de exigirmos a reforma política que tanto os políticos prometem e nunca acontece. Não tenho partido, não voto em partido………mas falando sério o povo tem que tirar esses maus politicos que envergonham o Brasil……..TODOS.

  78. Vicente Iribarrem says:

    Acho que o momento e delicado para reformas politicas, pois a sociedade anseia por reformas na constituiçao,que virou remendos causado por um parlamento desacreditado, que acabou quebrando o brasil em todas as estruturas.

  79. Luis Fernando Silva says:

    A opinião de um alienígena. Os circuitos cerebrais dele não têm a mínima condição de avaliar o país e, muito menos, dar soluções.
    A Suécia fecha prisões. O Brasil mata por motivos banais, ou sem motivos. É outra galáxia.
    O que falta no Brasil é educação cívica. São valores e sentimentos de respeito e consideração pelo próximo.
    Isso leva décadas, ou séculos.
    A reforma política é mais do que necessária.
    Mas que tal, concomitantemente, fazermos uma reforma na justiça, para que se torne mais rápida e atuante?
    Isso sim, pode fazer alguma diferença. Como podemos ter um povo honesto e comprometido com o todo se o “vizinho” goza, à grande e à francesa, os prazeres da vida à custa de dinheiro sujo?
    O político é um, que veio do povo, que foi eleito. Quando o povo se tornar honesto, ele também será.
    Isso demora. Acho que o primeiro passo está em aplicar, na prática, é em todos os níveis, a máxima: “o crime não compensa. Mas em tempo hábil.

    • Goncalo Eifler Pérez says:

      Dorival, o PT esqueceu aquela velha máxima atribuída a Tancredo, q era uma “raposa” da política : “Quando a esperteza é grande demais ela come o próprio dono” … Quanto aos “golpistas”, estás chamando o STF de ” golpistas”, já que ele, praticamente, está regulando todo o processo de IMPEACHMENT, previsto CONSTITUCIONALMENTE . Fale pensando antes para não dizer absurdos….

  80. Sonia Bressan says:

    Já havia lido a matéria, concordo plenamente, pena que as opiniões ficaram divididas em duas partes, é hora de parar com essas postagens com ceninhas ridículas de ambos os lados que já cansou e partir pra algo mais concreto que é a continuação da lava jato e tirar todos de lá, e não ficar no discurso cai PT e deixar o país nas mãos dos que só estão interessados neles mesmos

  81. Vicente Eugenio says:

    Tal vez o hoje o Brasil faça uma reforma política administrativa tanta partidária como econômica com responsabilidade, mudando as leis obrigado ser cumpridas sem apadriamento, que a reforma política

  82. Malu Marcon says:

    Querer comparar o Brasil com a Suécia é covardia por três motivos simples , porém , relevantes : país com oito milhões de habitantes , e do tamanho do Estado de Santa Catarina . é uma Educação de primeiro mundo . É no mínimo incoerente dado às desigualdade entre estes País .